Discussões estão sendo desenvolvidas nos altos escalões do futebol mundial sobre uma competição global que seria realizada em anos ímpares, no lugar dos enfadonhos amistosos entre seleções. O formato seria parecido ao da Liga das Nações, que começará a ser disputado ano que vem, depois da Copa do Mundo da Rússia. A Uefa e a Fifa admitiram conversar sobre uma maneira de transformar o torneio europeu em um mundial, englobando todas as confederações.

LEIA MAIS: Entenda como funcionará a Liga das Nações, o novo torneio de seleções da Uefa

Em comunicados enviados à BBC, as duas entidades disseram que estão tendo “discussões construtivas”, código do discurso oficial para estamos vendo se tem apoio político e se vai dar dinheiro. Ambas também afirmaram que a Fifa esteve envolvida nas conversas sobre a Liga das Nações “desde o princípio”, e a Uefa fez questão de salientar que envolve também “as nossas federações nacionais, acionistas europeus, todas as confederações e, claro a Fifa”.

A Liga das Nações terá todas as 55 nações europeias filiadas à Uefa e dará quatro vagas para a Eurocopa de 2020, além de ajudar a determinar o ranking das Eliminatórias para esta competição. O formato deste novo campeonato mundial ainda é obviamente incerto. Mas a agência de notícias Associated Press teve acesso ao que está sendo discutido no momento.

Segundo a AP, a Liga Mundial – vamos chamar assim por enquanto – seria disputada pelas 223 seleções existentes a cada dois anos. Elas seriam divididas em sete divisões, de acordo com o ranking da Fifa, e cada confederação organizaria suas eliminatórias. O grande lance seria um torneio mundial, sediado em um único país, com três equipes europeias, duas sul-americanas, uma da África, da Ásia e da Concacaf, com quartas de final, semifinal e final em uma semana, sempre em junho de anos ímpares. O primeiro seria em 2021.

Informou Jamil Chade, do Estado de S. Paulo, duas semanas atrás, que também foi ventilada a possibilidade de criar um torneio apenas com equipes das Américas e da Ásia, mas isso não resolveria o principal problema avaliado pela CBF: a impossibilidade de enfrentar as fortes equipes europeias entre Copas do Mundo, prejudicando arrecadação e a preparação das seleções sul-americanas. De acordo com a reportagem do Estadão, era estudada a possibilidade de, em 2019, começar a ser disputada uma Liga Mundial, dividida em três divisões.

São interessantes as movimentações para tornar o futebol de seleções mais atraentes, e provavelmente uma competição com oitos das melhores seleções de cada continente a cada dois anos seria um torneio agradável de se assistir. No entanto, a questão é se realmente o futebol internacional deveria ganhar mais espaço neste momento.

Clubes já se incomodam com a perspectiva de emprestar, de graça, seus jogadores com salários milionários para os times nacionais e recebê-los machucados ou cansados. Mais partidas disputadas com alta competitividade apenas piorariam esse cenário. Qualquer novo torneio oficial também envolverá negociações complicadas com os poderosos clubes europeus.