Era uma vitória esperada. O Liverpool recebia o Sunderland, fortemente ameaçado pelo rebaixamento, em Anfield. E os Reds cumpriram o esperado. Vitória por 2 a 1, na qual o ataque não foi tão feroz como de costume, mas fez o suficiente para conquistar os três pontos. Steven Gerrard abriu o placar em uma cobrança de falta e Daniel Sturridge ampliou, em um chute que desviou na zaga. Nem o gol de Ki Sung-Yueng no final atrapalhou o triunfo, que deixou os Reds a um ponto do Chelsea na liderança da Premier League.

Tudo bem que o Manchester City está com duas partidas a menos que o Liverpool, podendo deixá-lo quatro pontos para trás. Ainda assim, não há time mais embalado na Inglaterra em 2014 do que o comandado por Brendan Rodgers. Os Reds venceram dez de seus 12 jogos no ano, enquanto empataram os outros dois. Sua última derrota veio justo na sua despedida em 2013, contra o Chelsea. Enquanto isso, todos os outros 19 times da elite inglesa já sofreram ao menos um revés nos últimos três meses.

Além disso, olhando jogo a jogo, o desempenho parece ainda mais impressionante. O Liverpool não deixou de balançar as redes em um confronto sequer, com excelente média de 3,33 gols por jogo. Marcas importantíssimas diante de uma defesa que também tem fraquejado mais do que deveria – nestas 12 partidas, só em quatro passou os 90 minutos sem sofrer gols. E tanto quanto Daniel Sturridge e Luis Suárez, quem tem destoado nessa sequência recente é Steven Gerrard, com oito gols e três assistências.

Restando oito rodadas para o fim da campanha, será essencial que o Liverpool siga voando se quiser recuperar o título que não vem há duas décadas. Até porque Manchester City e Chelsea estarão entre seus adversários, nos dias 12 e 26 de abril. O time que foi mal nos clássicos do primeiro turno parece ter superado esse problema depois das imposições contra Arsenal e Manchester United nas últimas semanas. Mantendo a série nos confrontos diretos, ficará próximo de ficar com a faixa de campeão.