Faz um tempo que Bernd Leno parece fazer hora extra no Bayer Leverkusen. É um goleiro que sempre foi visto como dono de grande potencial e, afinal, apesar de relativamente jovem, aos 26 anos de idade, permaneceu como titular dos Aspirinas durante as últimas sete temporadas. O momento, no entanto, era de renovar os ares. O alemão demonstrou o desejo de deixar o clube e vários interessados surgiram no mercado. O Napoli aparecia como eventual comprador, vislumbrando o substituto de Pepe Reina em sua meta. Entretanto, o Arsenal surgiu com mais força nas últimas semanas e, nesta terça, anunciou o seu novo arqueiro. Por €25 milhões, se transferirá a Londres.

O Arsenal vinha apresentando problemas em sua meta. David Ospina teve um bom momento ou outro pelos Gunners, mas já não conta com prestígio há um bom tempo. Enquanto isso, Petr Cech mostra debilidades ao lidar com o ocaso da carreira, em curva descendente compreensível, mas maior do que se esperava para uma lenda de sua estirpe. Aos 36 anos, seu tempo se esgota. E não seria surpresa se Leno assumisse a posição já na próxima temporada, considerando que o colombiano está aberto a negociações e o tcheco só tem mais um ano de contrato.

O ponto é que, tecnicamente, a última temporada não foi das melhores de Leno. Anteriormente, o alemão parecia ter uma curva de evolução maior para traçar e deu uma estagnada recentemente. Não à toa, o desempenho ruim no início da Copa das Confederações custou as suas convocações e, mesmo com Kevin Trapp esquentando o banco no Paris Saint-Germain, o goleiro do Leverkusen não foi chamado à Copa do Mundo. Segundo a tradicional pontuação atribuída pela revista Kicker, Leno teve nota 2.95 na Bundesliga 2017/18, em valor decrescente que vai de 1 a 5. É sua pior nota em sete temporadas como profissional no clube e pela primeira vez ficou fora do Top 10 de arqueiros do campeonato, 11° colocado na lista. Anteriormente, a Kicker elegeu o jovem como melhor arqueiro da liga em duas ocasiões (2011/12 e 2013/14), embora ele mantivesse posições altas depois disso.

A mudança de ares, possivelmente, pode dar nova motivação a Leno. Se o goleiro não apresentava mais sinais de crescimento no Leverkusen, certamente as perspectivas do clube minaram sua motivação, ausente na Liga dos Campeões pela segunda temporada consecutiva. Por outro lado, os Aspirinas parecem sair ganhando em meio às mudanças. Contrataram Lukas Hradecky, dois anos mais velho que o antigo titular, mas que chega em melhor forma. Nas últimas três temporadas, o finlandês estava em grande nível com o Eintracht Frankfurt e fez a diferença para que as Águias se estabelecessem na parte de cima na tabela da Bundesliga.

O técnico Unai Emery, de qualquer maneira, reiterou o seu otimismo a falar sobre a chegada de Leno: “Estamos muito contentes que Leno irá se juntar a nós. É um goleiro de muita qualidade e experiência. Tem jogado em alto nível e é titular do Leverkusen há anos. Estamos empolgados que Bernd escolheu o Arsenal e queremos logo iniciar a preparação a partir de julho”. Treinador de goleiros dos Gunners nos últimos anos da era Arsène Wenger, Jens Lehmann não poderá ajudar seu compatriota, já que não permanecerá na comissão técnica.

Além de Leno, os Gunners haviam anunciado anteriormente a contratação de Stephan Lichtsteiner, trazido sem custos após o final de seu contrato com a Juventus. Segundo a Sky Sports, o clube também tem encaminhada a chegada do zagueiro Sokratis Papastathopoulos, do Borussia Dortmund, e negocia com a Sampdoria pelo meio-campista Lucas Torreira.