Pela quarta vez nos últimos cinco anos, o Arsenal está em uma final de copa inglesa. Se não deu na Copa da Inglaterra, a mais importante, na qual estreou perdendo para o Nottingham Forest, o clube do norte de Londres conseguiu derrotar o Chelsea, por 2 a 1, nesta quarta-feira, e avançou à decisão da Copa da Liga Inglesa. Enfrentará o Manchester City, graças a uma boa partida e um pouco de sorte nos gols que marcou.

LEIA MAIS: Sánchez é anunciado no Manchester United em um negócio que parece bom para todos

A partida de ida, em Stamford Bridge, havia sido 0 a 0. Sem vantagem para nenhum dos lados, com uma decisão, embora a menos importante da temporada, ao alcance e diante de um clássico local, nenhum dos lados poupou esforços. Entraram times fortes. O Arsenal com Özil, Lacazette e a defesa titular. O Chelsea com Hazard, Pedro e Willian e os seus outros principais jogadores. Apenas os goleiros, Ospina e Caballero, foram os reservas – geralmente usados em copas para colecionarem alguns minutos.

O Chelsea identificou um buraco na defesa do Arsenal, formada por quatro jogadores nesta quarta-feira, e não cinco, como Wenger vinha utilizando em algumas partidas. Primeiro, Pedro apareceu para cabecear no ângulo, o que seria um belo gol se o atacante espanhol não estivesse impedido. Mas o passe de Pedro encontrou Hazard em posição legal entre os zagueiros, e o atacante belga só teve o trabalho de tocar na saída de Ospina.

 

Depois de tomar o gol, o Arsenal conseguiu ajustar a sua defesa e melhorou na partida. Foi ao ataque e conseguiu cinco minutos depois, com uma jogada de pinball. Özil cobrou o escanteio aberto, Monreal cabeceou para o gol. A bola desviou em Marcos Alonso, pegou na cabeça de Rüdiger e enganou Caballero. Foi marcado gol contra do zagueiro alemão.

 

Não era o dia de Rüdiger. No segundo tempo, Lacazette tentou o passe para a entrada da área. Rüdiger esticou-se para bloquear e acabou desviando a bola na direção de Xakha, que estava esperto para empurrar às redes e virar o jogo para o Arsenal.

 

Foi uma partida de poucas chances de gol, com apenas seis finalizações certas (quatro do Arsenal, duas do Chelsea). Boa parte da culpa disso esteve na incapacidade ofensiva do Chelsea, que dominou a partida depois de levar o segundo tento e conseguiu criar muito pouco. Na realidade, a melhor chance acabou sendo do Arsenal, mas Iwobi parou em uma linda defesa de Caballero com as pernas.

Sem conquistar o título da Premier League desde 2004, o Arsenal vem conseguindo aliviar a pressão com suas campanhas nas copas. Conquistou a FA Cup três vezes nas últimas quatro temporadas e agora tem a chance de fazer o mesmo na Copa da Liga Inglesa, que não vence desde 1993.