Ideias idiotas não faltam entre os dirigentes de futebol, não importa que lugar do mundo você esteja. Há atitudes, porém, que merecem destaque pela babaquice. É o caso de Assem Allam, dono do Hull, que quer mudar o nome do clube de Hull City para Hull Tigers. A atitude irritou torcedores, que fizeram uma faixa contra a mudança e foram censurados. Agora, o dirigente disse, com garbo e elegância, “que esses torcedores podem morrer”, com o desprezo que alguém desse naipe pode ter.

Allam assumiu o Hull em 2010 e a ideia de mudar o nome do time de Hull City para Hull Tigers enfureceu alguns torcedores. A campanha dos torcedores contra a mudança chama-se “Ccity Till We Die” (“City até morrer”). A resposta de classe do dono do time foi essa mesmo. “Eles podem morrer quando quiserem, desde que deixem o clube para a maioria que quer apenas assistir bom futebol”, declarou em entrevista ao Independent.

O Hull City tem esse nome desde a sua fundação, em 1904. Não é por acaso que os torcedores se ofendem com a possível mudança. O egípcio, que mora em Hull desde 1968, considera que “City” é algo muito comum, que diversos times o utilizam. Diversos torcedores protestaram e a faixa levada ao estádio do time dizia “We are Hull City”.

A faixa de protesto dos torcedores do Hull, que acabou censurada no estádio KC

A faixa de protesto dos torcedores do Hull, que acabou censurada no estádio KC

“Como eles podem dizer que são torcedores, esses hooligans, essa minoria militante, quando eles incomodam e distraem os jogadores enquanto tiram o direito dos outros de assistir futebol, e empresas que pagam um bom dinheiro para fazer propaganda?”, disse Allam. Uma justificativa bem fraca, como se vê.

Contrariado com essas manifestações dos torcedores, Allam ameaça deixar o clube. “Sou um homem simples. Eles querem que eu fique? Se for ‘Não, obrigado’, tudo bem, em 24 horas o clube está à venda, eu não coloco nem mais uma libra e espero que as coisas aconteçam rapidamente”, disse o dirigente.

Quando assumiu o clube, em 2010, o Hull tinha sido rebaixado da Premier League e tinha uma dívida que chegava a £ 35 milhões. O dono já ofereceu devolver o dinheiro dos torcedores que possuem o carnê da temporada e estão insatisfeitos com essa possível mudança de nome.

A questão é mais simples. Os torcedores certamente o agradecem por ter tirado o time das dívidas e por ajudar a subir novamente à Premier League. Mas mudar o nome é uma questão sensível aos torcedores e é preciso compreender isso. Não é só um detalhe. Por morar na cidade desde 1968, ele deveria saber disso. Não é Estados Unidos, onde há uma cultura mais estabelecida sobre essas mudanças de nome, até de cidade. Na Inglaterra não. Respeitar isso é algo importante.