Mais cedo, escrevemos sobre a história da retirada das credenciais de dois jornais ingleses do jogo de volta entre Bayern de Munique e Manchester United pela Liga dos Campões, por causa de manchetes ofensivas em relação a Schweinsteiger. No entanto, esse não foi o único capítulo de desentendimento entre os bávaros e a imprensa britânica decorrente do encontro no Old Trafford. Na entrevista coletiva pós-jogo, Pep Guardiola teve uma pequena desavença com o repórter Jamie Jackson, do Guardian, até mesmo repreendendo o jornalista após se irritar com uma pergunta: “Olha para mim quando eu estiver falando com você”.

Antes da pergunta de Jackson, Guardiola havia afirmado que “não é fácil controlar o jogo com oito ou nove jogadores (adversários) na área”, mas que ainda assim havia conseguido. É o discurso típico de comandantes de equipes fortes que não conseguem um resultado favorável diante de um adversário claramente mais fraco.

Diante dessa avaliação do espanhol, o repórter do Guardian questionou se Guardiola estava decepcionado com a atuação de seus jogadores, ao que o técnico respondeu, protocolarmente, que não. Foi então que, embasado pelas afirmações anteriores de Pep, Jackson perguntou se ele achava que o Manchester United estava sendo “negativo em suas táticas, enchendo sua própria área de jogadores”. O treinador do Bayern então se irritou, afirmou que não havia dito aquilo e adotou até mesmo um tom professoral, paternal – hierárquico, para ser mais específico -, dizendo ao repórter: “Olhe para mim quando eu estiver falando com você”. Detalhe: antes que você ache que realmente foi rude por parte do jornalista fazer a pergunta e depois desviar o olhar, tenha em mente que os repórteres presentes em uma coletiva precisam fazer anotações e não podem dedicar seu olhar inteiramente ao entrevistado. Claro que estamos apenas supondo que ele estivesse fazendo anotações, mas é difícil imaginar outro motivo.

Jamie Jackson primeiro ficou surpreso e perguntou se Guardiola estava falando mesmo com ele. Depois, perguntou se o espanhol estava olhando para ele, para, em seguida, fazer uma brilhante comparação a um dos momentos mais clássicos da carreira de Robert De Niro: “Isso está parecendo Taxi Driver”. A situação toda não passou disso, e não houve qualquer tipo de ofensa, mas que foi curioso ver um dos melhores técnicos do mundo repreendendo um repórter dessa maneira, isso foi. Fica a lição para as próximas coletivas: nunca desvie seu olhar de Pep.