O Bayern de Munique segue sem convencer neste início de temporada. Depois de uma preparação cheia de percalços, o time de Carlo Ancelotti até melhorou no seu primeiro jogo oficial de 2017/18, mas longe de ser brilhante. De qualquer forma, se sagrou campeão da Supercopa da Alemanha. Os bávaros ficaram em desvantagem no placar por duas vezes, mas conseguiram buscar o empate por 2 a 2 contra o Borussia Dortmund no Signal Iduna Park. Já na disputa por pênaltis, melhor para os visitantes, que confirmaram o triunfo por 5 a 4 nas alternadas, graças às duas cobranças defendidas pelo goleiro Sven Ulreich. Sem impressionar, a atuação já foi suficiente para comemorar.

Lidando desde já com os insistentes problemas de lesão que perseguem seu elenco, o Bayern de Munique entrou em campo sem jogadores importantes – como Thiago Alcântara, Arjen Robben e Manuel Neuer, além do recém-contratado James Rodríguez. O Borussia Dortmund, por sua vez, contava com a estreia oficial do novo treinador Peter Bosz, apostando em uma formação ofensiva, com promissor tridente de ataque formado por Ousmane Dembélé, Pierre-Emerick Aubameyang e Christian Pulisic.

A partida começou com as duas equipes buscando o ataque e criando ocasiões para marcar logo nos primeiros minutos. O Dortmund saiu na frente graças à sua pressão na saída de bola adversária, em lance de méritos totais de Christian Pulisic. Aos 11 minutos, Javi Martínez cochilou na entrada da área e perdeu a bola para o garoto, que arrancou e venceu o goleiro Sven Ulreich. Fez explodir a torcida no Signal Iduna Park, empolgada com a postura incisiva de sua equipe.

A resposta do Bayern, todavia, seria imediata. Primeiro, Roman Bürki fez grande defesa ao buscar o chute de Franck Ribéry no cantinho. Já aos 17 minutos, Robert Lewandowski deixou tudo igual. Escalado na lateral direita, Joshua Kimmich mostrou suas credenciais como garçom, que tanto se viram em suas últimas apresentações pela seleção alemã. O jovem avançou à beira da área e cruzou para o artilheiro arrematar, vencendo Bürki. O lance ainda gerou dúvidas, com o árbitro validando apenas depois de consultar o VAR, utilizado pela primeira vez em uma competição oficial na Alemanha.

E o momento do jogo era mesmo melhor ao Bayern. Os visitantes passaram a incomodar bastante no campo ofensivo, principalmente nos 15 minutos anteriores ao intervalo, explorando as jogadas pelos lados. Bürki reapareceu para fazer um milagre em arremate de Thomas Müller, que ainda mandou uma bola no pé da trave em outra jogada. Isso sem contar os vários arremates sem direção. O Dortmund precisava mudar a sua postura após a pausa. Justamente o que aconteceu na etapa complementar.

Os aurinegros tinham um controle maior das situações na segunda etapa, sem sofrer tanto com as investidas dos rivais e criando um lance ou outro, mas sem tanta criatividade. O segundo gol, inclusive, nasceu a partir de um ataque do Bayern. Lewandowski invadiu a área e tentou rolar para o meio da área, sendo interceptado. O erro possibilitou o contragolpe fatal dos anfitriões. Dembélé recebeu no meio e deu excelente passe para Aubameyang, tocando na saída de Sven Ulreich. Restando mais 20 minutos, o Dortmund parecia pronto para derrotar os seus rivais.

No entanto, um lance fortuito determinou a sorte do Bayern, aos 42 do segundo tempo. Por mais que o time pressionasse, a defesa adversária conseguia se safar. Até que uma bola parada acabou sendo decisiva, mas só depois de muita insistência. Em bate-rebate intenso dentro da área, que contou com cabeçada de Lewandowski no travessão, Kimmich chutou e, depois de rebater em Lukasz Piszczek e Roman Bürki, o gol finalmente aconteceu. Mais uma vez, foram alguns minutos de espera para que o árbitro de vídeo validasse a jogada.

Não havia muito mais tempo para uma reviravolta. Assim, a decisão acabou indo para os pênaltis – já que a Supercopa da Alemanha não prevê prorrogação em seu regulamento. Os dois times começaram cobrando bem, até que Bürki buscasse o chute de Kimmich, no terceiro chute do Bayern. Os bávaros conseguiram buscar a diferença quando Sven Ulreich barrou o arremate de Sebastian Röde, o quarto do Dortmund. Já na primeira série alternada, Marc Bartra bateu mal, para o goleiro terminar de se consagrar. Festa do time de Carlo Ancelotti no Signal Iduna Park.

A Supercopa, no fim das contas, não significa tanto assim para a sequência na temporada da Alemanha. O Bayern diminui o impacto da sequência ruim de resultados, mas sabe que a montagem do time dependerá bastante de seu departamento médico. Enquanto isso, o Dortmund deixou algumas boas impressões, especialmente pela efetividade de seu ataque, mas as oscilações ao longo dos 90 minutos mostram que há um caminho longo a percorrer. Sinais de uma Bundesliga que tende a ser mais aberta do que de costume. De certo, apenas que os bávaros já levaram mais uma taça para sua casa.

Para conferir as escalações das equipes e as estatísticas do jogo, clique aqui.