Óscar Cardozo chegou ao Libertad como um reforço estelar. O centroavante já não vivia os melhores momentos de sua carreira, após passagem apagada pelo Olympiacos. No entanto, aos 34 anos, ainda tem um peso enorme ao futebol paraguaio. Foi um dos maiores símbolos da seleção. E possui um faro de gols inegável. Ao longo da campanha da Copa Sul-Americana, o veterano já vinha fazendo a diferença. Foram três gols nas cinco primeiras partidas do torneio continental. E nesta terça, ele foi o personagem principal na vitória por 1 a 0 sobre o Independiente, no jogo de ida das semifinais. Por duas vezes, o braço esquerdo do Tacuara entrou em cena. Primeiro, ao ajudá-lo a dominar a bola para o gol decisivo no Defensores del Chaco. Depois, por render sua expulsão.

Cardozo precisou de 30 segundos para abrir o placar. Após lançamento de cabeça, ele dominou a bola com o braço esquerdo, antes de sair na cara do gol e fuzilar o goleiro Martín Campaña com um belo chute de trivela. A irregularidade passou despercebida pela arbitragem e determinou a vantagem precoce do Libertad. E os paraguaios poderiam ter ampliado logo de cara, em uma bobeada do arqueiro do Independiente, que demorou em uma saída do gol e acabou pegando a bola com a mão após um recuo. Na cobrança, porém, o Gumarelo isolou e Campaña pôde respirar aliviado.

O Independiente ainda daria sua resposta no primeiro tempo, mas a melhor chance parou no goleiro Rodrigo Múñoz. O Rojo era claramente superior. Durante a etapa complementar, dominava a posse de bola e trabalhava os passes, mas precisava caprichar mais em suas conclusões. E ficaria em vantagem numérica a 20 minutos do fim, justamente por culpa de Óscar Cardozo. Em uma disputa de bola já do lado de fora do campo, o Tacuara infantilmente deixou o braço esquerdo no rosto de Alan Franco. Desta vez o árbitro viu, e mostrou o vermelho direto ao veterano.

Com um a mais, o Independiente tentou colocar mais pressão. Ainda assim, continuava falhando na definição das jogadas. E o grito de gol ficou entalado na garganta especialmente por um lance aos 45, após cruzamento de Franco. Juan Sánchez Miño surgiu livre na segunda trave para completar de cabeça e o goleiro Múñoz operou um milagre, espalmando o arremate já em cima da linha. Ao final, a vitória por 1 a 0 garante uma excelente vantagem ao Libertad para o reencontro, no Estádio Libertadores de América.

Na visita a Avellaneda, porém, o Gumarelo sabe que não contará com sua grande estrela. Talvez, nem mesmo para as finais, dependendo do tamanho do gancho que Cardozo pegará. A falta de controle do centroavante pode custar muito caro aos paraguaios. Já o Independiente confia na mística da cancha onde possui um bom aproveitamento nas competições continentais. Até pela maneira como o time atuou nesta terça, está claro que há potencial para a virada. E o alívio se torna maior com a ausência da grande referência ofensiva do Libertad.