Ao longo dos últimos anos, a grandeza do Brondby se alimentou a partir da paixão de sua torcida. Não era a falta de títulos que diminuía o ímpeto de uma das massas mais fanáticas da Europa Central, honrando a história do tradicional clube dinamarquês. A perseverança ao longo de uma década de campanhas medianas, por fim, deverá se ser recompensada nesta temporada. Com três pontos de vantagem, os auriazuis estão próximos de conquistar seu primeiro título na liga em 13 anos. E alinharam a dobradinha nesta quinta, na decisão da Copa da Dinamarca. A vitória por 3 a 1 sobre o Silkeborg deu a sétima taça à agremiação na competição, a primeira desde 2008.

A conquista do Brondby dependeu de uma virada dentro do Estádio Parken – casa da seleção e do rival Copenhague. O Silkeborg abriu o placar aos 33 minutos, com Davit Skhirtladze. Benedikt Röcker e Kamil Wilczek deram a virada antes do intervalo. Já nos minutos finais, o próprio Wilczek fechou a conta, desencadeando uma festa que pode se ampliar ainda mais nos próximos dias. Na segunda-feira, os aurinegros fazem o “jogo do título” no Campeonato Dinamarquês. Recebem o Midtjylland em casa, tentando ampliar a vantagem de três pontos sobre os principais concorrentes ao topo. Caso vençam, os líderes precisarão de apenas um empate nas últimas duas rodadas para consumar a reconquista da liga.

E o mais impressionante na decisão desta quinta não aconteceu dentro de campo, mas sim nos arredores do Estádio Parken. Um verdadeiro exército amarelo tomou as ruas de Copenhague, com um sonoro cortejo até a arena. Já nas arquibancadas, eram maioria absoluta contra os adversários vindos de uma cidadezinha de 40 mil habitantes, no interior do país. As cenas só enfatizam a torcida incrível a serviço do Brondby, assim como a ansiedade por uma temporada novamente gloriosa. A possível dobradinha de 2017/18 é a supremacia que uma geração aguardou, especialmente depois de anos dominantes do rival Copenhague. Aproveitam bem o momento.