O Milan gera grandes expectativas nesta temporada. O motivo inicial é o mercado de transferências movimentado feito pelos novos donos do clube, trazendo jovens jogadores de valor e um zagueiro da estirpe de Leonardo Bonucci. Mas todo mundo sabe que o interesse não se concentra apenas nisso. A ânsia fica por conta de ver a velha camisa rossonera recuperando a grandeza que lhe é característica. A recuperação, contudo, leva tempo. E ainda que o time de Vincenzo Montella tenha feito um ou outro jogo mais empolgante, sobretudo na Liga Europa, não anda tão simples engrenar. Nos dois principais desafios na Serie A, os milanistas tropeçaram. Neste domingo, uma atuação errática contra a Sampdoria culminou na derrota por 2 a 0 no Estádio Luigi Ferraris.

Montella escalou um time próximo daquele considerado como ideal. Produziu pouquíssimo. Foram apenas seis finalizações em 90 minutos de jogo, nenhuma delas no alvo. Desde o primeiro tempo, o domínio da partida era da Samp, sobretudo pela maneira como conseguia anular o meio-campo rossonero. A válvula de escape dos visitantes se chamava Leonardo Bonucci, quase sempre com ligações diretas. O zagueiro deu 21 passes longos, sem atormentar tanto assim os blucerchiati. Já do outro lado, um dos nomes que se destacava era o de Lucas Torreira, comandando as ações dos anfitriões na faixa central.

Levando mais perigo desde a primeira etapa, com direito a um pênalti corretamente “cancelado” pelo árbitro de vídeo, após a marcação inicial, a Samp concretizou sua vitória nos 20 minutos finais. Principal ameaça ao Milan, Duván Zapata abriu o placar aos 27. Em lance confuso dentro da área, no qual os rossoneri reclamaram de falta, Cristian Zapata ajeitou erradamente a bola para o adversário homônimo, que não perdoou, fuzilando Gianluigi Donnarumma. Na base do desespero, os visitantes mal incomodaram os blucerchiati. Já nos acréscimos, Ricky Álvarez ampliou a diferença, pouco depois de sair do banco. Em uma sucessão de trapalhadas da defesa do Milan, o argentino arrancou com a bola dominada e bateu cruzado, no canto de Donnarumma.

O Milan continua em uma boa posição na Serie A, provisoriamente em quinto, com 12 pontos. O problema é que justamente nos dois jogos de mais peso, contra times que devem figurar na parte de cima da tabela (Lazio e, agora, Sampdoria), os rossoneri perderam. A equipe se volta ao duelo contra o Rijeka na Liga Europa, mas sabendo que o tempo urge para a se acertar, diante da sequência duríssima na liga nacional durante o mês de outubro. Na próxima rodada, recebem a Roma e depois da Data Fifa ainda fazem o clássico contra a Internazionale. Na sequência, disputam mais um jogo pela Liga Europa, contra o AEK Atenas, até pegarem Genoa, Chievo e a Juventus.

A Sampdoria, por sua vez, ganha a devida projeção pelo bom início de campanha. O time permanece invicto e soma 11 pontos, levando em conta que teve o jogo contra a Roma adiado por causa de um temporal em Gênova. Mesmo perdendo jogadores importantes na janela de transferências e trazendo reposições que não inspiravam tanta confiança, os blucerchiati embalam. Resta saber se o time reformulado de Marco Giampaolo terá fôlego para conquistar outros resultados tão bons em sequência. Por mais que a equipe tenha feito ótima partida neste domingo, a apatia do Milan também pesou.