Talvez o nome de Sir Richard Attenborough lhe seja estranho em um primeiro momento, ainda mais se você não gostar tanto de cinema. Provável que você nem saiba que o inglês fez parte da sua juventude. Pois você se lembra daquele velhinho que resolveu extrair do âmbar o DNA de seres pré-históricos e criar o Parque dos Dinossauros? Pois então: foi ele quem personificou o dono do Jurassic Park, no clássico de Steven Spielberg. O ator e diretor que ganhou o Oscar de 1982, por Gandhi, faleceu neste domingo, aos 90 anos. Uma lenda de Hollywood e também de Stamford Bridge. Afinal, Attenborough era torcedor fanático do Chelsea e, por isso mesmo, presidente honorário do clube londrino.

LEIA MAIS: Robin Williams também arrancava gargalhadas falando de futebol

A chegada de Attenborough à presidência de honra dos Blues aconteceu em 2008, já depois que Roman Abramovich havia comprado o clube. “Eu vou tirar os Oscars da lareira e colocar essa placa lá agora. Isso significa tanto para mim quanto qualquer prêmio ou honraria que ganhei no passado”, disse, na época da homenagem.

A paixão de Attenborough pelo Chelsea começou no final da década de 1940. Para fazer um papel no cinema, precisou melhorar suas condições físicas. Então, começou a treinar com os jogadores do Chelsea e se tornou amigo de Tommy Lawton, ex-atacante do clube e da seleção inglesa. O britânico chegou a ser diretor do clube entre 1969 e 1982. Durante o período, os londrinos conquistaram uma Recopa Europeia e uma Copa da Inglaterra. O ator também ajudou a manter Stamford Bridge, em um período em que a propriedade foi ameaçada.

1408922439661_wps_4_John_Terry_of_Chelsea_cha

Mais do que cartola, Attenborough foi frequentador assíduo das arquibancadas do estádio. “Sempre que ganhávamos um título ou grandes jogos, ele nos ligava ou mandava um e-mail parabenizando o time, e significava muito para o elenco saber que ele estava torcendo por nós. Uma das minhas memórias foi quando ganhamos a Premier League pela primeira vez. Ele nos deu um longo e inspirado discurso, que era aquilo que ele gostaria de ver. Foi importante para nós, seguir fazendo aquilo por ele e para manter o sorriso em sua face. Esse é o nosso objetivo nesta temporada: fazer isso por ele”, comentou o capitão John Terry.

Na próxima partida do Chelsea, contra o Everton, os jogadores usarão uma braçadeira negra em luto por Attenborough. “Eu posso ir a um jogo em Bridge em uma tarde de sábado, talvez com uma dor de cabeça ou com o peso do mundo sobre meus ombros e, no final, eles terão ido embora. É o período mais extraordinário de relaxamento. Claro que existem as próprias tensões, mas eu daria qualquer coisa para ver uma partida maravilhosa de futebol, em particular se o Chelsea estiver jogando”, dizia. Todas as homenagens serão pouco para um torcedor tão fanático.