“Seria aceitável não vencermos nada nesta temporada, com minha abordagem pessoal, minha filosofia e a natureza deste clube? Não, não seria aceitável. Mas é possível que aconteça isso”. Essas foram algumas das palavras de José Mourinho na coletiva de imprensa antes do jogo com o Crystal Palace, e, pelo futebol apresentado pelos Blues nesta e em suas últimas partidas, é bem possível que seja isso mesmo que aconteça ao final da temporada. O Chelsea tem vencido, é o vice-líder da Premier League, consegue resultados bons e está nas oitavas da Liga dos Campeões. Mas a verdade é que não tem apresentado um futebol tão vistoso ou servido de grande entretenimento para quem acompanha futebol, ainda que os resultados sejam de fato ótimos.

A vitória por 2 a 1 sobre o Crystal Palace deixou os londrinos a dois pontos do líder Arsenal, e a sequência recente do time, vista apenas nos resultados, faz parecer que a equipe não tem muito com o que se preocupar. É verdade que a conquista da Liga dos Campeões pelos Blues mostrou que o pragmatismo é um caminho para a glória, mas Chelsea, por favor, com os talentos individuais que você tem, queremos ver algo mais lúdico! Após tanto investimento, falta convencer mais.

Ver o Everton jogar tem sido mais divertido, por exemplo. A equipe foi outra que venceu neste sábado e se aproximou dos Gunners, mas o triunfo dos Toffees foi algo muito mais digno de um time que faz parte das primeiras colocações. Os três gols nos 17 minutos finais do jogo mostraram o dinamismo dos comandados de Roberto Martínez. Sem nenhum grande craque e tendo como destaque Romelu Lukaku, atleta que não conseguiu espaço no Chelsea nesta temporada, o time de Liverpool está invicto há nove jogos, é o quarto colocado e está a quatro pontos do Arsenal.

Se pegarmos os elencos de Toffes e Blues e compararmos peça a peça, não haverá dúvida alguma de qual é superior. Entretanto, considerando o que se espera de cada um e o que é entregue, o saldo do Everton é bem melhor. E a justificativa de que é a primeira temporada de Mourinho em seu retorno não cola. Roberto Martínez também está no primeiro ano no comando de sua equipe, e o padrão já pode ser visto em Goodison Park. Você sabe o que esperar do Everton, e ele dá até mais do que a expectativa. O Chelsea vence, mas suas vitórias não têm “identidade”. Talvez isso não represente algum grande risco aos objetivos dos londrinos, mas, como espectador, seria bom ver partidas mais interessantes dos Blues.