Balotelli é uma figuraça, isso é inegável. Não são poucas as histórias cômicas protagonizadas pelo atacante. Porém, não é por causa de suas maluquices que Super Mario deixa de ser um cara sensível. Neste sábado, o craque do Milan saiu de campo chorando no Estádio San Paolo, ao ser substituído durante a derrota para o Napoli. Uma cena tocante e que, apesar dos rumores relacionados ao racismo, tem uma bela razão por trás.

Balotelli ganhou uma filha nesta semana. A menina havia nascido em dezembro de 2012, fruto de um relacionamento antigo, mas o italiano preferiu assumir a criança somente após um exame de paternidade. Ele mesmo, uma criança adotada, não queria se apegar ao bebê e depois abandoná-lo. Não queria repetir a dor que já sentira, mesmo do outro lado. Em compensação, depois do resultado positivo, Balo resolveu abrir seu coração. E o choro teria sido a frustração por ter perdido várias chances de balançar as redes justamente em Nápoles, cidade de sua filha, onde poderia fazer uma homenagem.

Sobre a boataria envolvendo racismo dos napolitanos, Seedorf negou logo depois do jogo: “O que eu posso dizer sobre Balotelli? Aquelas foram lágrimas de um esportista. Nós somos jogadores e às vezes expressamos a nós mesmos dessa maneira. Não vi nada de errado ou anormal nisso. Eu também passei por essa experiência várias vezes”. O Napoli também se manifestou oficialmente para desmentir os boatos. Aliás, o clube não tem histórico que deponha contra e, pelo contrário, seus próprios torcedores também costumam ser vítimas de racismo, por conta do preconceito à população do sul da Itália.

Até porque chorar provavelmente não seria a resposta de Balotelli contra o racismo. O atacante não abaixaria a cabeça diante de uma questão na qual costuma ser combativo. “Espero que não digam nada. Se disseram, tentarei com todas as minhas forças fazer um gol e depois digo algo”, declarou no ano passado, ao ser questionado sobre possíveis ofensas da torcida do Verona, envolvida em vários episódios racistas. “Pessoas racistas são a minoria, mas você não pode fazer nada para muda-los. Você pode falar, fazer o que quiser, mas não pode mudar nada, porque eles são apenas pessoas estúpidas”, disse à Revista Time.

Já na Euro 2012, quando foi vítima de seguidas ofensas, o italiano respondeu de duas formas: comemorando um gol de maneira explosiva contra a Irlanda, quando começou a falar palavrões e teve a boca tapada por Bonucci, e tirando a camisa para mostrar sua cor ao balançar as redes da Alemanha. No entanto, na mesma semifinal contra os germânicos, Balotelli também deu a sua maior prova de sensibilidade, ao ir às lagrimas quando foi abraçar sua mãe adotiva e seus irmãos, presentes nas arquibancadas. Você pode até curtir o personagem ‘Super Mario’. Mas também vale a pena perceber que, por trás do estilo bonachão, há um ser humano com valores admiráveis.