A Copa da Rússia garantiria um conto de fadas nesta temporada, não importava muito quem vencesse a final. Tanto Tosno quanto Avangard Kursk coroariam suas epopeias. De um lado, um clube bastante ameaçado pelo rebaixamento no Campeonato Russo, com chance de conquistar o primeiro título de sua recente história. Do outro, um figurante da segundona, que passou grande parte de sua trajetória na terceira divisão. A mera presença na decisão em Volvogrado, inaugurando oficialmente um estádio da Copa do Mundo, era honra a ambos. Ao final, melhor para o Tosno, que venceu a partida por 2 a 1 e comemora a taça, por mais que seu futuro seja incerto.

Fundado em 2013, o Tosno é daqueles clubes de ascensão meteórica. Conquistou o acesso na terceirona logo em sua primeira temporada e, depois de três anos na segunda, alcançou a Premier League. O desempenho na elite não vinha sendo nada animador, com a equipe atravessando quase toda a campanha na zona de rebaixamento. Ainda assim, a Copa da Rússia permitiu sonhar. A tabela não colocou grandes desafios até as semifinais, quando os nanicos construíram um resultado histórico diante do Spartak Moscou. Os visitantes buscaram o empate por 1 a 1 aos 44 do segundo tempo, dentro da Otkrytiye Arena. Já na disputa por pênaltis, eliminaram o maior clube do país.

Na decisão, o Tosno encarou o Avangard, que nas etapas anteriores tinha eliminado o CSKA Moscou. Ainda assim, o favoritismo estava ao lado do clube da primeira divisão. Aleksei Skvortsov abriu o placar ao Tosno aos 11 do primeiro tempo, enquanto Igor Kireyev igualou aos 16. Por fim, o triunfo se consumou aos 35 do segundo tempo, graças a Reziuan Mirzov. Festa em Tosno, cidadezinha na região de São Petersburgo cuja população de 39 mil habitantes é inferior aos 40 mil presentes nas arquibancadas em Volvogrado.

O épico do Tosno o aproximaria da inédita participação na Liga Europa. O campeão da Copa da Rússia vai direto à fase de grupos. No entanto, o sonho europeu dos nanicos não deve se completar. A situação financeira não ajuda e, segundo o próprio presidente da federação russa, a diretoria não pagou a licença que os permitiria disputar o torneio da Uefa. Assim, a vaga deve cair no colo do sexto colocado do Campeonato Russo. Apesar da glória, os vencedores ainda precisarão manter os pés no chão.

O intuito do Tosno na reta final da temporada é se manter na Premier League. Restando uma rodada para o final do campeonato, o clube ocupa a penúltima posição, que o rebaixaria direto. Com os mesmos 24 pontos do Anzhi e três tentos de desvantagem no saldo, precisa superar a equipe do Daguestão. O Tosno encerra a sua participação na liga visitando o Ufa, um daqueles que podem se beneficiar com a ausência dos campeões da copa nacional na Liga Europa, enquanto o Anzhi vai a Moscou pegar o CSKA, que ainda tenta se confirmar na zona da Champions. Caso escape, o Tosno ainda precisará jogar os playoffs contra o terceiro colocado da segundona. Se o milagre acontecer, aí sim a temporada de sonho estará completa.