Arbitragem de futebol é um assunto muito questionado no mundo inteiro. E o primeiro final de semana da Major League Soccer em 2014 teve um tempo especial para este assunto: as partidas foram conduzidas por árbitros substitutos.

Na sexta (7), a Professional Referee Organization (PRO), órgão que regulamenta os árbitros profissionais norte-americanos, soltou um comunicado afirmando que seus associados estavam em locaute e que não viajariam para apitar as partidas da MLS naquele final de semana.

Assim como aconteceu antes da temporada 2012 da NFL, a liga e a associação de árbitros não conseguiram renovar o acordo coletivo que rege a participação dos profissionais nas partidas da MLS, mesmo com a PRO sendo financiada pela própria liga e pela US Soccer, a Federação Americana de Futebol.

Segundo apurado por Steven Goff, repórter do Washington Post, o problema realmente foi a compensação financeira. Apesar da MLS garantir que havia oferecido um número que colocaria os recebimentos dos árbitros americanos acima da média mundial, o acordo não teria agradado a PRO. É estimado que haja uma diferença de mais de US$ 1 milhão entre a pedida da associação e a oferta da liga.

E qual a solução para o primeiro final de semana? Árbitros substitutos. Pode não parecer tão ruim, mas a primeira coisa que vem na cabeça de um americano quando se fala neste assunto são os inúmeros erros dos temporários que apitaram as partidas da NFL em 2012 enquanto a liga e os oficiais não chegavam a um acordo. Foram semanas horríveis, culminando no touchdown do Seattle Seahawks contra o Green Bay Packers, tido por alguns como o pior erro da história da liga de futebol americano.

Apesar destas lembranças, havia um bom sinal. O primeiro árbitro substituto era o irlandês Alan Kelly, que apitou uma partida de UEFA Champions League na atual temporada. Ele fez um bom trabalho em Seattle Sounders e Sporting Kansas City, a partida de abertura da liga, mesmo não expulsando Aurelien Collin e Osvaldo Alonso, que até mereceram o segundo amarelo.

O problema foi o que veio depois. Uma série de pênaltis mal marcados, como os que favoreceram Whitecaps e FC Dallas; gol anulado de forma incorreta, vide o de Luke Mulholland para o RSL contra o Galaxy; e muitas faltas anotadas sem critério ou com um totalmente errado.

Mesmo após o final de semana ruim, a PRO cancelou a reunião que teria com a liga nesta terça (11) para tentar resolver a questão. Então dá para esperar que os substitutos continuem atuando por mais algumas semanas, pelo menos.

Talvez a sorte da MLS e da PRO é que não tenha como acontecer um erro gigante como o do “touchception” para que imprensa e torcedores se revoltem e pressionem os dois lados, assim como foi quando a NFL viu que precisaria trazer seus árbitros de volta.

O que nos resta é esperar.