O Bayern de Munique continua favorito em todas as competições que disputa. Na Copa da Alemanha, os bávaros encararam um desafio e tanto nas oitavas de final. As bolinhas do sorteio foram matreiras e reservaram justamente o Borussia Dortmund para esta fase. E por mais que os aurinegros tenham dado trabalho no final, o time de Jupp Heynckes fez por merecer a classificação às quartas. Conseguiu decidir a partida logo no primeiro tempo, em noite bastante movimentada na Allianz Arena. O placar de 2 a 1 acabou sendo pouco, pela quantidade de chances geradas ao longo dos 90 minutos.

No último jogo de 2017 para ambos os times, nenhum dos treinadores poupou forças para o confronto decisivo. No entanto, os desfalques pesavam mais contra o Borussia Dortmund, que não contou com Pierre-Emerick Aubameyang no comando de seu ataque. Sem o gabonês, se recuperando de um problema muscular, Andriy Yarmolenko precisou encabeçar a linha de frente. Já no Bayern, Robert Lewandowski seguia como a grande arma, apoiado por Franck Ribéry, James Rodríguez e Thomas Müller.

Os primeiros minutos de partida na Allianz Arena guardaram um bombardeio que poucas vezes se viu na temporada. O Bayern amassou o Dortmund com todo o seu vigor. Arturo Vidal chegou a acertar a trave, antes que Roman Bürki fizesse duas excelentes defesas, sobretudo em uma tentativa de cavadinha de Lewandowski. O sufoco era tamanho que o gol acabou saindo na marra, aos 12. Após cobrança de falta de James, Niklas Süle mandou no travessão, mas Jérôme Boateng aproveitou a sobra para emendar de cabeça às redes.

Não demoraria ao Bayern diminuir o ritmo, mas o Dortmund demorou a ameaçar de maneira concreta. Faltava profundidade para conseguir abrir as linhas de marcação dos bávaros. Aos 34, Peter Stöger resolveu fazer sua primeira substituição, trocando Marc Bartra por Mahmoud Dahoud e modificando também o sistema tático para o 4-2-3-1. Logo depois, quase os aurinegros abriram o placar. Em ataque rápido, Pulisic deu ótimo passe a Yarmolenko, livre dentro da área. O ucraniano teve tempo de ajeitar e bater tirando do alcance de Sven Ulreich, mas também permitiu que David Alaba se recuperasse para salvar em cima da linha.

Sabe aquele ditado que diz que “a bola pune”? Pois então: cinco minutos depois, o Bayern ampliou a diferença. E os méritos da jogada precisam ser compartilhados. Lewandowski fez um trabalho de pivô excepcional, ao dominar a bola e, mesmo cercado, encontrar o momento preciso para a passagem de Thomas Müller. Deu um passe açucarado ao companheiro, que, de frente para Bürki, tocou por cobertura e correu para o abraço. Os bávaros iam ao intervalo com excelente vantagem.

O Bayern até poderia ter marcado o terceiro no início do segundo tempo, mas Bürki realizou uma das defesas mais fantásticas de sua carreira. Müller cabeceou no canto aberto e o arqueiro saltou para bloquear a bola com o pé esquerdo, em milagre digno de goleiro de handebol. Sem tanta pressa, os bávaros até se colocavam no campo de ataque, mas não eram muito agressivos. Já do outro lado, o Dortmund precisava de uma resposta imediata e passou a acelerar mais seu jogo. Faltava aproveitar melhor as chances, principalmente nas bolas paradas.

Aos 31, enfim, os aurinegros encostaram no placar. E o gol saiu de maneira merecida, por toda a categoria de Shinji Kagawa. No bico da grande área, o japonês tirou dois marcadores com apenas um corte e mandou a bola no capricho para Yarmolenko. Com a meta escancarada, desta vez o ucraniano não desperdiçou. Embora o Bayern desse os seus sustos, o Dortmund passou a acreditar no empate. Pois ele quase saiu aos 45, com Alexander Isak, que acabara de sair do banco. O garoto saiu de frente para o crime, mas o chute prensado bateu em Boateng e seguiu pela linha de fundo. Foi o último suspiro de um time que, mesmo inferior no somatório dos 90 minutos, não se entregou nunca e conseguiu peitar os seus rivais.

Líder da Bundesliga com folga, o Bayern vai para a pausa de inverno ampliando ainda mais suas chances na Copa da Alemanha, ao tirar um dos principais rivais no caminho. E os times da primeira divisão dominam as quartas de final. Além dos bávaros, também se classificaram: Eintracht Frankfurt, Bayer Leverkusen, Mainz 05, Wolfsburg, Schalke 04 e Werder Bremen. O único clube de uma divisão abaixo é o renascido Paderborn, atualmente na terceirona, que aprontou diante do Ingolstadt. O sorteio dos confrontos da próxima fase acontece em 7 de janeiro.