Ney Franco, técnico do Flamengo

O Flamengo tem 45 dias de muita dor de cabeça e trabalho pela frente

A primeira parte do Campeonato Brasileiro terminou para o Flamengo, e a situação do time carioca pode ser a pior possível, caso o Figueirense vença o Atlético Paranaense mais tarde. Com apenas sete pontos em nove partidas, após perder do Cruzeiro por 3 a 0, pode passar os próximos 45 dias na lanterna da competição, até que o torneio seja retomado depois da Copa do Mundo, em 15 de julho. O certo é que estará na zona de rebaixamento.

Leia também: É difícil negar o tamanho do desrespeito a Jayme em sua demissão

A única vitória do time foi na terceira rodada, sobre o Palmeiras, no Maracanã, quando ainda era treinado por Jayme de Almeida, técnico campeão da Copa do Brasil pelo clube ano passado. Sua história na Gávea durou apenas mais um jogo. Ney Franco assumiu contra o São Paulo, na metade de maio, e ainda não venceu no seu retorno ao Flamengo: três empates, inclusive contra o Figueirense, um dos piores times do torneio, e duas derrotas, para São Paulo e Cruzeiro.

O que mais chamou à atenção neste domingo foi a facilidade com a qual o Cruzeiro construiu o placar no Parque do Sabiá, em Uberlândia. A defesa rubro-negra assistiu à bela troca de passes do com uma apatia preocupante. Parecia incapaz de atrapalhar os atuais campeões brasileiros, e Ricardo Goulart abriu a contagem. No segundo gol, dois flamenguistas tentaram roubar a bola de Henrique, que ganhou ambas as divididas. Havia outro buraco na defesa do Flamengo, onde Éverton Ribeiro apareceu para chutar cruzado.

O terceiro tento não foi muito mais difícil. Ricardo Goulart fez um corta-luz, recebeu dentro da área de Éverton e chutou para defesa de Paulo Victor. Borges pegou o rebote e fez o terceiro. Os quatro jogadores vestidos de vermelho e preto que estavam dentro da área apenas olharam, como nos outros lances. Preferiram levantar os braços e pedir impedimento a marcar um dos jogadores do Cruzeiro.

A impressão, diante de tanta passividade e desorganização, foi que bastava forçar um pouco mais para os mineiros aplicarem um placar mais elástico. Com bom elenco e praticamente o mesmo time do ano passado, os mineiros estão firmes na busca do primeiro bicampeonato consecutivo no Brasileiro desde o São Paulo, tri entre 2006 e 2008. Chegaram aos 19 pontos, mesmo atuando com o time reserva durante as primeiras rodadas por causa da campanha na Libertadores.

Se Marcelo Oliveira vai ter tranquilidade para fazer ajustes na inter-temporada, Ney Franco vai ter muita dor de cabeça pela frente para montar esse Flamengo, que não mostrou muito mais do que um Alecsandro oportunista no período pré-Copa. O técnico disse que há jogadores em negociação – mencionou um meia de criação – e que o futebol do clube precisa de “uma mudança radical” para melhorar no restante do campeonato.

Ainda é cedo e qualquer clube pode se salvar do rebaixamento ou brigar pela parte de cima da tabela, mas certamente serão 45 dias de muito trabalho na Gávea, principalmente na defesa, e cobranças amplificadas em um clube que tem o costume de exagerar, para o bem e para o mal.

Você também pode se interessar por:

>>>> O que é cornetagem e o que não é na eliminação precoce dos brasileiros na Libertadores?

>>>> O Guia Corneteiro do Brasileirão 2014

>>>> A diferença do gol de Rondinelli para o de Márcio Araújo é um erro do bandeira