O Manchester City entrou em campo na última rodada da Premier League em busca de um número: 100. A marca centenária de pontos que se tornaria inédita na história da competição, ampliando ainda mais o recorde estabelecido pelo time de Pep Guardiola já no compromisso anterior. Não seria uma partida tão simples assim, considerando que o Southampton jogava por sua vida, apesar dos riscos mínimos de ser rebaixado à Championship. No placar zerado que se arrastou durante 93 minutos, e que já serviu para manter os Saints aliviados, o gol derradeiro saiu no último segundo. Gabriel Jesus concedeu a glória aos Citizens, com uma pintura no último lance para definir o triunfo por 1 a 0 e provocar o mais puro êxtase dos visitantes no Estádio St. Mary’s.

Muito mais interessado no jogo, o Southampton começou a partida criando as melhores chances, inclusive acertando o travessão de Claudio Bravo aos oito minutos. Somente no segundo tempo é que o mistão escalado por Pep Guardiola engrenou, pressionando mais. E a derrota do Swansea no outro jogo decisivo à degola diminuía ainda mais o peso sobre os ombros dos Saints, que tiveram uma bola salva em cima da linha por Fernandinho a 15 minutos do final.

Gabriel Jesus saiu do banco de reservas no segundo tempo. E, quando o relógio demarcava os últimos instantes dos acréscimos, deu o desfecho perfeito a uma temporada hegemônica ao Manchester City. Kevin de Bruyne mais uma vez teve participação importantíssima, com um lançamento absurdo feito no campo de defesa. A bola na medida permitiu que o atacante saísse livre na entrada da área. Então, veio a sua sutileza: dominou de canhota e, percebendo a posição adiantada do goleio Alex McCarthy, deu um belo toque por cobertura com a direita. A comemoração explosiva do brasileiro, de seus companheiros do City e de toda a torcida no setor visitante serve de emblema, entre os momentos mais memoráveis desses meses inesquecíveis aos celestes.

Jesus, aliás, recuperou a boa sequência no Manchester City. Não é tão efetivo quanto no início da temporada, mas alavancou seus números depois da seca que ocorreu quando retornou de lesão. São sete gols e uma assistência nas últimas 12 partidas pelo clube, 10 delas como titular. Embora Roberto Firmino apresente um nível melhor com o Liverpool, a guinada do paulista pode ser importante na disputa pela posição no ataque da seleção brasileira. Outro detalhe é que a assistência deu a De Bruyne o recém-criado “Playmaker Award”, oferecido ao jogador com mais assistências na Premier League.

O Manchester City acumula mais recordes. Além dos 100 pontos, também são 106 gols marcados e 32 vitórias, outras marcas inéditas desde a instituição da Premier League, em 1992/93. A diferença de 19 pontos em relação ao Manchester United é a maior já registrada na competição. Números que enfatizam o tamanho desta equipe dos Citizens que, além de tudo, encheu os olhos pela qualidade do futebol apresentado. O gol de Jesus é a mais digna apoteose.