Definitivamente, não foi uma rodada para os líderes de La Liga. Barcelona e Atlético de Madrid tropeçaram na rodada. Motivos para o Real Madrid sorrir? Só até o momento de entrar em campo para enfrentar o Valencia e fechar a rodada. Os merengues encaravam o adversário mais difícil do trio de ferro. E, com mais méritos próprios do que problemas dos oponentes, como se valeram Getafe e Levante, os Ches arrancaram o empate por 2 a 2 no Estádio Santiago Bernabéu. Sobretudo, pela partida sensacional de Diego Alves.

>>> Dias depois da banana de Dani Alves, mais racismo na Espanha

O camisa 1 do Valencia é o melhor goleiro brasileiro no futebol europeu desde que Júlio César perdeu espaço na Internazionale. E fez muita gente se lembrar disso com a excelente atuação que teve em Madri. Diego parecia intransponível. Foram dez defesas em 32 chutes contra a sua meta e, nos dois gols que tomou, não teve culpa alguma. Atualmente, talvez só Victor e Jefferson estejam em uma fase tão boa quanto a do ex-goleiro do Atlético Mineiro. Se Diego voltasse a receber uma chance na Seleção, como acontecia nos tempos de Mano Menezes, não seria nenhuma surpresa, ainda mais pela forma como ele costuma crescer nos grandes jogos, em especial contra Real e Barça. Porém, em uma posição de tamanha confiança, parece tarde demais para Felipão chamá-lo à Copa.

Quem mais deverá mais sonhar com o goleiro é Cristiano Ronaldo. O craque chutou 14 vezes na partida, foi quem mais buscou a vitória para o Real Madrid. Em sete tentativas, parou no arqueiro adversário. Só que Diego também deverá sonhar com ele. O português só o venceu quando sua genialidade ficou mais evidente: em um cruzamento de Ángel Di María, o camisa 7 estava de costas para o gol. Então, resolveu dar um coice na bola e marcar um golaço de calcanhar, sem tempo de reação. Evitou um prejuízo maior para os merengues, arrancando o empate nos acréscimos do segundo tempo.

É claro, não foi uma partida tão brilhante do Real quanto a do meio de semana, na goleada sobre o Bayern de Munique. Para evitar o desgaste, Carlo Ancelotti até optou por realizar algumas trocas no time, poupar parte de seus principais jogadores. O problema é que os atacantes pareciam isolados demais do resto do time e, quando conseguiam a bola, paravam em Diego Alves. Já do outro lado, o Valencia era bem mais eficiente. Depois de exigir boas defesas de Diego López, abriu o placar no fim do primeiro tempo com Jérémy Mathieu, em uma falha de Raphael Varane após cobrança de escanteio. Seguiu ao intervalo em vantagem.

Para o segundo tempo, Di María foi a campo para o Real Madrid. E o time da casa melhorou, igualando o marcador rapidamente, no quarto tento de Sergio Ramos nas últimas três partidas. O problema é que a defesa dos merengues voltou a deixar espaço demais e permitiu que Daniel Parejo marcasse o segundo gol dos visitantes, aos 20 minutos. A partir de então, o que se viu foi um bombardeio do Real e uma série de milagres de Diego Alves. Depois do empate de Cristiano Ronaldo, o time acelerou ainda mais o ritmo na busca da virada, mas o tempo não foi suficiente.

O ponto conquistado com o empate, porém, é muito pouco para as pretensões do Real Madrid. Se o Atlético de Madrid vencer o Málaga na próxima rodada, o que é bastante provável, os merengues precisarão vencer seus últimos três duelos (contra Valladolid, Celta e Espanyol) para superar os colchoneros na tabela. Pior, terão que torcer por um triunfo do Barcelona sobre o Atleti no Camp Nou para ficar com a taça. Dará para confiar nos rivais? A melhor edição de La Liga em anos é tão emocionante também por isso: os interesses que não se limitam apenas ao que acontece em campo.


5 respostas para “O golaço de Ronaldo superou a muralha de Diego Alves, mas não foi o suficiente ao Real”

  1. hilton dominczak disse:

    Julio César no gol da seleção de Felipão, e Diego Alves vendo a Copa pela TV. Pois é, grupo fechado dá nessas merdas, ou seja, o cara convoca o jogador pra sempre, não importa se ele joga na Inter de Milão ou num timinho lá do Canadá. Mas esse é o falido futebol brasileiro, não se pode esperar outra coisa.

    • Anderson disse:

      Eu concordaria com vc se Julio César não fosse um ótimo goleiro.Além disso é um jogador que tem a experiência de já ter disputado Copa do mundo por isso eu acho que ele deveria sim ser o goleiro titular na Copa.

  2. Bryan Sharp disse:

    Analisando apenas a forma atual, Diego Alves, Fábio e Victor deveriam ser os goleiros brasileiros na Copa. Desses, tirando um pra entrar o Júlio César (de vaga cativa), tiraria o Fábio. Mas levar Jefferson ou Cavalieri será piada de péssimo gosto.

  3. Adriano Augusto disse:

    Prefiro Victor,Weverton,Jefferson,Fabio,Cassio,Renan,Neto…não que ele,Diego,seja pior mas todos estes são muito bons e estão bem.Goleiro bom não falta e Julio Cesar está acima de quase todos esses.

Deixe uma resposta