O feito do Guangzhou Evergrande no Mundial de Clubes de 2013 só representaria salto para o futebol chinês se houvesse adversários capazes de disputar o título com a equipe de Marcello Lippi. A pouco mais de um mês do início da temporada, parece que o Shandong Luneng irá ocupar o espaço vago e fazer frente aos atuais tricampeões chineses.

O Guangzhou Evergrande se despediu da habilidade de Conca, de volta ao Fluminense, mas também se desfez de outros jogadores. O meia-atacante Renato Cajá é do Bursaspor até o final de junho, enquanto o zagueiro Paulão foi cedido ao Internacional. As poucas contratações do atual bicampeão chinês envolvem as chegadas do lateral-esquerdo local Zheng Long, do rebaixado Qingdao Jonoon, e do volante Renê Júnior, ex-Santos, enquanto o atacante Cléo retornou de empréstimo do Kashiwa Reysol. Um gasto total de apenas € 3,9 milhões, pouco para os valores com os quais a torcida estava acostumada.

Para compensar, as especulações no mercado italiano apontam que Lippi estaria interessado em levar Alessandro Diamanti, meia do Bologna e da Azzurra, para substituir seu antigo maestro – ao menos segundo informações da Sky Italia. Mas enquanto a chegada do novo astro não é confirmada, o elenco se mantém enfraquecido em relação ao último ano, com Elkeson e Muriqui sendo os principais destaques. E o Evergrande precisará se mexer, já que a Chinese Super League promete trazer mais desafios aos comandados de Lippi do que nos anos anteriores.

Afinal, o Shandong Luneng torrou seis vezes mais que os rivais pelo título no mercado de transferências. Quatro vezes campeão nacional, o clube desembolsou já € 25,2 milhões. Em valor de mercado, a avaliação do elenco saltou para € 17 milhões, apenas € 2,2 milhões mais barato que o do Guangzhou. Números que demonstram o poderio equiparado entre os dois favoritos, ainda que o entrosamento não seja o mesmo.

Mas não é só pelo poderio financeiro que o adversário assusta o Guangzhou. Também é pelos atletas que o Shandong buscou. O primeiro deles foi o atacante Vágner Love, vindo do CSKA Moscou por € 6,1 milhões. Com 29 anos e vínculo até o fim de 2016, o brasileiro já começou a dar alegrias para os torcedores, com seis gols logo em seus dez primeiros jogos. Outro atleta de frente, o ex-são paulino Aloísio, foi comprado por apenas € 5 milhões e é uma das grandes apostas do Shandong para o futuro, com contrato até o fim de 2017. Com algum destaque no Brasil, é possível pensar que o Boi Bandido dará sequência à carreira na Ásia.

Mas a melhor contratação do clube é a do meia argentino Walter Montillo. Apesar de não ter sido brilhante na Vila Belmiro como fora no Cruzeiro e na Universidade de Chile, o argentino pode ter feito uma boa aposta financeira ao se mudar para a China, ainda que tenha colocado em risco sua participação na Copa do Mundo. É uma estratégia parecida com a que levou Conca ao Guangzhou em 2011, embora o salário inflado de Montillo não seja tão alto quanto o de seu antecessor. Se reproduzir o sucesso de seu compatriota, já terá valido o investimento.

Mais uma prova do efeito Guangzhou Evergrande em solo nacional. E não se pode esquecer que o treinador é Cuca, que se rendeu às cifras do Shandong Luneng em detrimento de continuar o bom trabalho à frente do Atlético Mineiro e tentar o bicampeonato da Libertadores. O Campeonato Chinês 2014 promete ser mais disputado e, por mais que o topo da tabela pareça limitado a apenas dois times, já é mais um degrau galgado pelo futebol nacional.

Curtas

- O Shandong Luneng também investiu em goleiros. O arqueiro chinês Wang Dalei foi titular do Shanghai Shenhua durante a temporada 2013. Ele tem quatro convocações pela seleção principal e já jogou o Mundial Sub-17 2005. O meia local Zhang Wenzhao também chegou, vindo do Changchun Yatai, que se salvou do rebaixamento por um ponto.

- A equipe se desfez de estrangeiros da temporada passada. O brasileiro Gilberto Macena foi para o Hangzhou Greentown, enquanto o folclórico Obina, que já estava emprestado ao Bahia, agora vai vestir a camisa do América Mineiro. O bom meia libanês Roda Antar, destaque da seleção nacional nas Eliminatórias Asiáticas para o Mundial 2014, vai defender o Jiangsu Sainty, também da elite chinesa.

- Guangzhou Evergrande e Shandong Luneng são disparados os clubes de elenco mais caro da temporada 2014. O terceiro colocado no quesito, Guizhou Renhe, é avaliado em apenas € 8,9 milhões, menos da metade dos dois primeiros. O mais barato é o do recém-promovido Harbin Yiteng (€ 2 milhões), que vai jogar a elite pela primeira vez e conta com o meia-atacante Rodrigo Paulista, 28, ex-Inter e Figueirense.

Austrália

- O Brisbane Roar mantém a liderança da A League, com 34 pontos, cinco de vantagem sobre o Western Sydney, e com um jogo a menos. O Sydney melhorou e é o quinto colocado, com 22 pontos, assim como Del Piero, que agora tem sete gols, um a menos que os artilheiros.

Irã

- Na liga persa, a disputa continua acirrada. Esteghlal e Foolad dividem a liderança da competição, com 46 pontos, dois de vantagem para o Naft Tehran. O Sepahan se recuperou e soma 43 pontos, em quarto. A seis rodadas do fim, o campeonato promete muitas emoções.

Arábia Saudita

- O Al Nassr continua tranquilo na liderança do torneio, com 54 pontos, seis a mais que o Al Hilal. O Al Ittihad, de Jóbson, é apenas o sexto colocado, com 23 pontos, e está a cinco da zona de rebaixamento, que vai levando Al Faisaly e Al Nahdha para a segunda divisão.