A Liga dos Campeões da Ásia contou com um duelo pesado entre chineses nas quartas de final. O Shanghai SIPG (de André Villas-Boas, Hulk, Oscar, Elkeson e Ricardo Carvalho) enfrentou o Guangzhou Evergrande (de Felipão, Alan, Ricardo Goulart e Muriqui), campeão continental há dois anos. E tudo parecia sob o controle da equipe de Xangai, que venceu o jogo de ida por 4 a 0. No entanto, o Evergrande protagonizou nesta terça uma das maiores reviravoltas da história. A equipe de Felipão devolveu os 4 a 0, graças a um gol de Ricardo Goulart aos 46 do segundo tempo. Já na prorrogação, depois que o SIPG diminuiu, os anfitriões contaram com mais um gol do brasileiro no finalzinho, com o 5 a 1 levando a decisão aos pênaltis. Tudo em vão. Porque na marca da cal, os visitantes foram mais competentes. Com o triunfo por 5 a 4, o Shanghai SIPG estará nas semifinais.

O festival de gols na ida facilitava a vida do Shanghai SIPG, mas o Guangzhou Evergrande foi copeiro o suficiente para buscar o placar. Alan marcou os dois primeiros gols da equipe ainda no primeiro tempo. Já na etapa complementar, o show ficaria por conta de Ricardo Goulart. O ex-cruzeirense marcou o terceiro de peixinho, em assistência de Alan, aos 38 do segundo tempo. Já nos acréscimos, o atacante apareceu completamente (e inexplicavelmente) livre dentro da área para decretar o empate por 4 a 4 no placar agregado. A noite tinha um herói.

A situação melhorou ainda mais ao Guangzhou logo no primeiro tempo da prorrogação, com a expulsão de Wang Jiajie. Os anfitriões, porém, não aproveitaram a vantagem numérica e acabaram tomando um gol aos cinco minutos do segundo tempo da prorrogação. Hulk sofreu falta na entrada da área e cobrou sem a força de costume, mas contou com a colaboração do goleirão. O brasileiro comemorou como um título. Cedo demais para isso.

Naquele momento, por mais que a classificação estivesse com o Shanghai SIPG, um tento já salvaria o Evergrande, sem que o saldo qualificado dos visitantes fosse considerado. Assim, Ricardo Goulart novamente surgiu como redentor. Em cobrança de pênalti que rendeu a segunda expulsão dos adversários, o atacante bateu com confiança e colocou o 5 a 1 no placar aos 13 minutos do segundo tempo da prorrogação. Já o suficiente para forçar a disputa por pênaltis.

E é aí que o destino tem das suas crueldades. Autor da tripleta, Ricardo Goulart perdeu justamente a primeira cobrança, acertando o pé da trave. Na sequência, todos os jogadores de ambas as equipes converteram, até que Yu Hai fechasse a conta a favor do Shanghai SIPG. Todo o esforço do Guangzhou Evergrande e a emoção proporcionada à sua torcida acabaram sendo à toa. O clube perdeu a chance do tricampeonato continental.

“O time deles é muito bom. O jogo foi muito difícil. Abrimos uma boa vantagem em casa, mas eles conseguiram devolver aqui. Jogando em casa, com a pressão da torcida, foram para cima e conseguiram fazer os gols. Felizmente conseguimos nos reorganizar na prorrogação e no final vencemos nos pênaltis” comentou Hulk.

Hulk, aliás, contou que chamou a atenção do time antes da prorrogação. “Tem que ser assim. Falei que o que fizemos de errado no jogo já foi. Agora na prorrogação começa do zero. Tínhamos que nos unir. Concentrar na partida e fazer o gol. E acreditar até o final. Foi o que fizemos” disse Hulk com a marca de oito gols em oito jogos e assumiu a artilharia da competição.

“São os dois melhores times da China e além de bom elenco, e um ótimo técnico, ainda tem o Hulk que está muito bem. Ele comandou o Shanghai. A partir de agora vou torcer para eles ganharem a Liga da Ásia” comentou o técnico Luiz Felipe Scolari que foi aplaudido pela torcida ao final do jogo, mesmo com a eliminação.

O Shanghai SIPG será o único representante da Super League Chinesa nas semifinais da Liga dos Campeões da Ásia. Aguarda o vencedor do duelo japonês entre Kawasaki Frontale e Urawa Red Diamonds. Já do outro lado da chave, os sauditas do Al-Hilal pegarão o compatriota Al-Ahli ou o iraniano Persepolis.