O Liverpool pode ter seus defeitos. Dentre os times que ainda sonham com o título da Premier League, é o que dá a impressão de ter menos fôlego para se manter na briga até a rodada final. Mas, independente das desconfianças, os Reds estão jogando demais. E o poder de destruição do ataque, com alta qualidade no toque de bola e velocidade para encaixar contra-ataques fulminantes, somado a algumas falhas pontuais de sua defesa, quase sempre produzem jogos com muitos gols. Os melhores de se assistir nesta temporada.

Neste domingo, por exemplo, o Liverpool venceu o Swansea por 4 a 3, em um jogaço. Bastaram 20 minutos para que os anfitriões abrissem dois gols de vantagem em Anfield, com um gol de Sturridge – após lindo passe de Sterling – e outro de Henderson. Os galeses empataram com dois tentos em seis minutos, incluindo uma pintura de Shelvey. Mas, antes do intervalo, Sturridge retomou a vantagem. Fim das emoções? Que nada: Bony empatou e Henderson anotou o gol da vitória aos 29 do segundo tempo. Batalha memorável que ainda teve oito defesas dos goleiros, uma bola na trave e 13 chutes para fora.

É lógico que o estilo ofensivo de Liverpool e Swansea ajudou o placar inchado. No entanto, olhando para os números da temporada, dá para perceber que não foi um caso isolado com os Reds. A equipe de Brendan Rodgers possui o melhor ataque do Campeonato Inglês e a quarta melhor média de gols das grandes ligas europeias – atrás apenas de Bayern de Munique, Real Madrid e Barcelona. O time chegou a 70 gols, apenas sete a menos que a melhor marca do clube na Premier League (a partir de 1992/93), e com ainda 11 rodadas para tentar superar.

Além disso, nenhum jogo do Liverpool na competição terminou com o placar zerado e só em dois o ataque passou em branco, nas derrotas para Arsenal e Southampton. E, somando todos os gols ocorridos nas partidas dos Reds, as redes foram balançadas 105 vezes, mais do que qualquer outro clube da Premier League – o segundo é o Manchester City, com 96 tentos. Não à toa, o 4 a 3 sobre o Swansea é apenas mais uma ótima apresentação em uma longa lista que também tem os 5 a 1 no Arsenal, os 5 a 3 no Stoke e o 3 a 3 contra o Everton. E os dois maiores artilheiros da liga também estão no time: Suárez, com 23 gols, e Sturridge, com 18.

Se os protagonistas do time não conseguirem compensar os gols sofridos, a situação complica. Mas, nas últimas rodadas, a dupla tem diminuído a importância de qualquer problema da defesa. São seis vitórias e dois empates em oito jogos desde o início do ano na Premier League, a melhor sequência do certame em 2014. E, caso o embalo não for suficiente para que o Liverpool chegue ao topo, ainda assim será um time para acompanhar até a última rodada. E se divertir com as boas partidas.