Desde a fase de grupos, parecia apenas questão de tempo. Em 58 anos de história da Liga dos Campeões, apenas Altafini Mazzola e Lionel Messi marcaram 14 gols em uma edição da copa. Parecia uma façanha até então. Que em breve seria pulverizada por Cristiano Ronaldo. De atuação fantástica em atuação fantástica, o craque terminou a fase de grupos com nove tentos, já um recorde até aquela etapa da competição. Trucidou o Schalke 04 e também deixou sua marca contra o Borussia Dortmund. Igualou Mazzola e Messi. E os deixou para trás com outra atuação memorável, duas bolas na rede nos 4 a 0 contra o Bayern de Munique. Incríveis 16 gols em apenas 10 jogos.

>>> O Real Madrid mostrou que estava pronto para desarmar a bomba Bayern
>>> S. Ramos e Pepe, os vilões de outras semifinais que colocaram o Real na decisão da Champions

Nenhum jogador no mundo é tão espetacular quanto Cristiano Ronaldo na atualidade. Dizer isso é mais do mesmo depois da conquista da Bola de Ouro, que o ratificou no topo. Ainda assim, o camisa 7 não cansa de impressionar. O gol que quebrou a marca contou com o máximo de sua velocidade para acompanhar Bale e a inteligência para vencer Neuer. Tinha mais. Para fechar a goleada, o artilheiro dos chutes potentíssimos também mostrou que pode ser jeito. Cobrou a falta por baixo da barreira, na maestria que também lhe é tão peculiar. Craque em sua essência. Diferente de tantos imortais por combinar força e técnica de maneira tão equilibrada, tão eficiente, tão mortal.

O estrago poderia ter sido bem maior, claro. Cristiano Ronaldo precisou ficar de fora de duas partidas, por lesão – em uma delas, a única derrota do Real na campanha. E também foi solidário, com cinco passes para os companheiros balançarem as redes. Na única partida em que passou em branco, aliás, na vitória sobre o Bayern no Bernabéu, o camisa 7 foi quem iniciou o contra-ataque, passando para Fábio Coentrão servir Benzema dentro da área.

Em Lisboa estará o último desafio de Cristiano Ronaldo. Sua casa, onde certamente terá a torcida da maioria dos portugueses – mesmo se encontrar com José Mourinho da final. A chance não apenas de reconquistar a Champions e de dar La Decima para o Real Madrid, como também de ampliar sua marca. Logicamente, o feito pessoal é apenas secundário diante de tudo o que os merengues podem conquistar. Entretanto, até agora, não houve meio mais eficiência para o time chegar a este fim do que os gols de Cristiano.

O raio X do recorde

A lista de gols

17/09/13 – Galatasaray 1×6 Real Madrid – três gols e uma assistência
02/10/13 – Real Madrid 4×0 Kobenhavn – dois gols
23/10/13 – Real Madrid 2×1 Juventus – um gol e uma assistência
05/11/13 – Juventus 2×2 Real Madrid – um gol e uma assistência
10/12/13 – Kobenhavn 0×2 Real Madrid – um gol
26/02/14 – Schalke 04 1×6 Real Madrid – dois gols e duas assistências
18/03/14 – Real Madrid 3×1 Schalke 04 – dois gols
02/04/14 – Real Madrid 3×0 Dortmund – um gol
23/04/14 – Real Madrid 1×0 Bayern – nenhum gol
29/04/14 – Bayern 0×4 Real Madrid – dois gols

Os detalhes das finalizações (clique para ampliar)

Ronaldo chutes

As estatísticas dos tentos

O vídeo com todos os gols