O Milan passou distante do vexame desta vez. Virou o jogo ainda no primeiro tempo e até goleou. André Silva e Patrick Cutrone marcaram dois gols cada, enquanto Ricardo Rodríguez também deixou o seu nos 5 a 1 sobre o Austria Viena. No entanto, a imagem que fica impregnada na cabeça é justamente a do tento dos austríacos. De um gol com a participação bastante infeliz de Leonardo Bonucci, para escancarar o mau momento do zagueiro desde que se transferiu a Milão. Está longe do monstro que se via nos tempos de Juventus, em praga que deve ter sido bem grande.

Bonucci chegou ao Milan para ser a referência neste novo momento. Assumiu a braçadeira de capitão e deveria se impor em campo como o grande líder. Como o jogador que os adversários respeitariam. Não é isso que se nota. Tudo bem que os problemas do time são estruturais e não devem recair apenas nas costas do defensor. Mas não há dúvidas que ele anda devendo, e muito. A atuação no final de semana, contra o Napoli, já tinha demonstrado a falta de consistência do zagueiro, desatento. O time ainda não venceu um adversário qualquer entre os seis primeiros colocados da Serie A. E infelicidade maior viria nesta quinta.

Gianluigi Donnarumma também falhou no lance. Saiu mal do gol e acabou driblado por Christoph Monschein. Mas a bola vinha mansa rumo ao gol, pronta para ser salva por Bonucci de maneira heroica. Ele só precisava completar o carrinho. Pois conseguiu o mais difícil: a bola passou por baixo de sua perna, numa jogada na qual o replay é necessário algumas vezes para se entender exatamente o que aconteceu. Uma falha bisonha. A cara do capitão, obviamente, era de desolação.

Ao menos seus companheiros não demoraram a vir ao resgate. Ricardo Rodríguez e André Silva viraram no primeiro tempo, antes que Cutrone comandasse a goleada no segundo. Bonucci, inclusive, foi substituído nos minutos finais. Ganhou os aplausos da torcida, talvez em uma tentativa de levantar a cabeça do capitão. Enquanto a Juventus apresenta problemas defensivos nesta temporada, um dos esteios dos bianconeri vive esta fase triste. Algo que poucos poderiam imaginar neste recomeço.

O Milan, de qualquer maneira, não enfrenta problemas na Liga Europa. Os rossoneri lideram o Grupo D, ainda invictos, e estão confirmados nos mata-matas, classificados na primeira colocação. Já a segunda colocação é disputada por Austria Viena, Rijeka e AEK Atenas.