O Milan demorou a transmitir confiança a partir da chegada de Gennaro Gattuso. Afinal, convenhamos que estrear empatando com o Benevento e tomando gol de goleiro não é o melhor cartão de visitas. Os rossoneri eram irregulares. Mas desde que conseguiram emendar uma boa sequência, têm sido arrasadores. O time acumula 12 partidas de invencibilidade, com nove vitórias. Neste domingo, conquistou uma das mais notáveis. Dentro do Estádio Olimpico de Roma, os milanistas contaram com as crias da casa para derrotar a Roma por 2 a 0. Resultado importantíssimo às pretensões, tornando cada vez mais palpável a possibilidade de classificação às copas europeias.

O primeiro tempo contou com a superioridade da Roma. Edin Dzeko ganhou um descanso, com Cengiz Ünder e Patrick Schick comandando o ataque. Pois Gianluigi Donnarumma faria boas defesas em tentativas dos garotos romanistas – embora o tcheco fosse flagrado por impedimento em seu lance. Os giallorossi tinham mais posse de bola, forçando a defesa adversária, que conseguiu se safar. Diante da falta de espaços, arriscavam bastante de média distância, mas sem sucesso. Já do outro lado, as raras chances dos rossoneri nasciam em erros.

No segundo tempo, a sorte do Milan no jogo se transformou. O primeiro gol saiu aos três minutos. Suso cruzou e Patrick Cutrone mais uma vez justificou a confiança de Gattuso, desviando ‘à Inzaghi’. O confronto ficou nas mãos dos visitantes, com Alisson praticando suas costumeiras defesaças – sobretudo em chute rasteiro de Nikola Kalinic, que o brasileiro salvou espetacularmente. Contudo, não teria o que fazer aos 29, quando Davide Calabria tabelou com Kalinic e, após ótima enfiada do croata, deu um toque por cobertura na saída do goleiro. Por fim, apesar dos arremates da Roma, os milanistas ainda poderiam ter feito o terceiro, mas Fabio Borini desperdiçou.

Na saída de campo, uma cena simbolizou bastante o Milan de Gattuso. Os jogadores se abraçavam no centro do gramado e se amontoavam sobre o treinador. O espírito coletivo, sem dúvidas, é o grande trunfo do ídolo nesta recuperação. Valeu a vitória em um estádio onde os rossoneri não comemoravam o resultado positivo desde 2011. O time permanece em sétimo, com os mesmos 44 pontos da Sampdoria. Mira um pouco mais acima, a seis da própria Roma, em quinto, e a sete da Internazionale. Considerando o embalo dos milanistas e a draga dos concorrentes, a classificação à Liga dos Campeões ainda é possível. Para tanto, a próxima decisão acontece no domingo, com o Dérbi della Madonnina fervendo o San Siro.