árabe

Você já deve ter ouvido falar que os jogadores que vão para o Oriente Médio atuam para estádios sem torcedores. Pode até ser o caso em alguns clubes, mas não dá para generalizar. Ao menos o Al Hilal, da Arábia Saudita, mostrou que tem uma torcida capaz de fazer uma festa inacreditável nas arquibancadas. Nesta terça-feira, pela Liga dos Campeões da Ásia, os alviazuis apresentaram um mosaico belíssimo no Estádio King Fahd cheio, com 63 mil pessoas.

LEIA MAIS: Sem Aboutrika, o jogo da paz em Gaza perdeu um enorme aliado

A popularidade do Al Hilal é natural. O clube da capital, Riad, é o que mais conquistou títulos nacionais e também conta com apoio da família real. Donos de dois títulos da LC da Ásia, os alviazuis ainda tiveram Rivellino em seu elenco durante três anos, no final dos anos 1970. E o mosaico só serve para reforçar essa grandiosidade. Dentro de campo, o time correspondeu. Com Thiago Neves entre os titulares, o Al Hilal bateu o Al Sadd (de Muriqui e Rodrigo Tabata) por 1 a 0, se aproximando das semifinais.

Atualização: a torcida do Al Hilal já tinha feito uma festa incrível antes. Amigos de Riad mandaram o vídeo abaixo, que mostra como os torcedores são fanáticos pelo clube saudita:

VOCÊ TAMBÉM VAI SE INTERESSAR POR:

– Aboutrika não foi apenas um ídolo, mas uma encarnação da essência do futebol

– Palestina é o melhor asiático do momento. Entenda por que isso não é nenhum absurdo

– Cinco momentos em que o futebol uniu palestinos e israelenses