O Olympique de Marseille atravessa uma reconstrução bem sucedida nesta temporada. Depois de quatro anos fora da Liga dos Campeões, os marselheses ficam sua bandeira no G-3 da Ligue 1 e, apesar da disputa parelha, parecem prontos a retornar ao principal torneio da Europa. E a maior prova de força do time veio nesta terça-feira. O Bourg-en-Bresse Péronnas está longe de ser o adversário mais temível, correndo risco de rebaixamento na segunda divisão. Ainda assim, a maneira como os celestes demoliram os oponentes na Copa da França é emblemática: 9 a 0 para o OM. É a maior goleada do clube desde 1948 – algo que nem o timaço do início dos anos 1990 conseguiu.

O baile do Marseille começou com a participação de um brasileiro: Luiz Gustavo, muito bem nesta nova etapa de sua carreira. O volante acertou um chute cruzado e abriu a vantagem. Dimitri Payet ampliou cobrando falta. A partir de então, Kostas Mitroglou e Lucas Ocampos roubaram o protagonismo. Cada um anotou uma tripleta. Já ao final, coube a Clinton N’Jie fechar a conta cobrando pênalti. Desde os 10 a 1 sobre o Chambery, na Copa da França de 1948/49, os marselheses não balançavam as redes tantas vezes numa mesma noite.

Com a vitória, o Marseille avança às quartas de final da Copa da França. Chance de título em uma temporada na qual, além do bom papel na Ligue 1, também seguiram aos mata-matas da Liga Europa. O maior campeão da França, dono da maior torcida do país, retoma merecidamente seu prestígio. E pelo projeto esportivo atual, com chances de mirar patamares mais altos em breve.