O Panathinaikos não consegue competir com o Olympiacos pelo topo da Grécia há um bom tempo. A crise econômica é pesada para todos. Porém, sem um magnata que os banque, como acontece com os rivais, os alviverdes precisaram ser salvos da falência pela própria torcida. E a consequência disso se nota em campo: o Olympiacos se encaminha para o tetracampeonato nacional. Um título que poderia ter sido conquistado neste domingo, no Dérbi dos Eternos Inimigos. Mas, ao menos nesse momento, o Pana soube lavar sua honra.

Apenas o quinto colocado na tabela, o Panathinaikos não poderia ter ido à desforra de melhor maneira. Dentro da casa dos rivais, impediu que o Olympiacos levantasse a taça com seis rodadas de antecipação – isso mesmo, os alvirrubros somam 19 pontos de vantagem para o vice-líder, o Atromitos. E também estragou o sonho da campanha invicta do clube de Pireu, que somava impressionantes 24 vitórias e dois empates em 26 partidas.

A vitória por 3 a 0 no Estádio Karaiskaki indica uma tranquilidade maior do que o Pana realmente teve. O Olympiacos foi superior durante boa parte do tempo, mas tomou os gols em casualidades. Daniel Pranjic fez o primeiro em um contra-ataque; Markus Berg ampliou em um chutão da defesa que virou lançamento; e Mehdi Abeid fechou a conta em uma cobrança de falta cruzada que ninguém desviou. Não importa. Foi o suficiente para que o Panathinaikos restaurasse seu orgulho, por mais que veja seus rivais levantando a taça dias depois ou mesmo eles eliminando o Manchester United, como é possível que aconteça na Liga dos Campeões.

E a alegria dos alviverdes não passou imune à revolta dos torcedores do Olympiacos, em incidentes que, infelizmente, são comuns no clássico grego. O técnico Yannis Anastasiou, do Panathinaikos, foi atingido por um copo plástico, enquanto o jogo foi interrompido no fim por causa dos rojões atirados em campo – resultado também da provocação de Abeid, que começou a “atirar flechas” ao celebrar o gol que fechou o placar. Ao apito final, os jogadores do Pana saíram correndo direto para os vestiários. Mesmo com medo, puderam fazer seus torcedores sentirem a libertação depois de tantos meses de penúria.