Após o cardeal Jorge Mario Bergoglio vencer o conclave, em 2013, um grupo de argentinos resolveu misturar futebol com a mensagem de paz do primeiro papa das Américas. Surgia assim o Papa Francisco Fútbol Club, equipe amadora de Buenos Aires que usa as cores do Vaticano (amarelo e branco) e carrega o lema “sem hooligans, sem violência e sem insultos”, uma forma de se manifestar contra a violência do esporte na Argentina.

O problema é que o próprio time não seguiu suas orientações. Logo no primeiro jogo, o Papa Francisco FC teve dois atletas expulsos. Por questão de justiça, o empate por 2 a 2 contra o Trefules foi marcado pelas jogadas mais pegadas, com quatro cartões vermelhos no total. Afinal de contas, pacíficos ou não no discurso, são todos argentinos e futebol é coisa séria.

Um dos jogadores do Papa Francisco FC, o meio-campista Fabian Gaddi, já admitiu que respeitar a parte dos insultos será um baita desafio. “Vai ser complicado se insultarmos os outros, mas o Papa é argentino, ele nos conhece e nos entende”, comentou, esperando a benção. Que se acertem com o árbitro na próxima.