O Barcelona se gaba de ser um dos clubes com melhor trabalho em categorias de base do mundo. E, convenhamos, é um orgulho justo. De lá saíram Messi, Xavi e Iniesta, três dos melhores jogadores do mundo nos últimos anos. Mas nem um clube com essa cultura consegue ficar incólume a uma punição como a que a Fifa impôs aos catalães: um ano sem poder contratar ninguém.

É compreensível. Por mais que trabalhe a garotada, o Barcelona sempre recorreu a contratações para reforçar o time. E, nos próximos meses, isso seria ainda mais sensível. E por isso o sinal de alerta ligou e o departamento jurídico já providenciou uma apelação para adiar ou reverter a pena.

Veja só o impacto que a decisão da Fifa tem no planejamento do clube para o futuro próximo (considerando que ela seja mantida, o que eu, particularmente, não acredito).

Goleiro

Valdés, apesar da temporada espetacular que vinha fazendo, já havia anunciado que sairia. O clube preparava o sucessor, e os relatos indicavam o alemão Andre Ter Stegen, do Borussia Mönchengladbach. O próprio jogador chegou a confirmar que tinha um acerto. No entanto, essa contratação podia até estar acertada com todo mundo, mas não era oficial. Ou seja, se a punição for mantida, o Barcelona não poderá contratar um goleiro. Como dificilmente apostaria no veterano Pinto ou em alguém da base, conversar com Valdés para acertar mais uma temporada pode ser a única opção viável.

Defesa

A zaga do Barcelona já tem dado sinais de fragilidade nesta temporada. Puyol ficou mais no departamento médico do que em campo. Piqué sobra como titular, ainda que também tenha sofrido com alguns problemas físicos. Mas quem é seu companheiro? Mascherano é o preferido nas últimas temporadas, mas até hoje tem falhas de posicionamento e em jogadas aéreas. Bartra nunca teve a confiança dos diferentes técnicos que passaram pelo clube nos últimos anos. Como Puyol já anunciou que se aposenta no final da temporada, a contratação de um zagueiro é obrigatória.

Xavi

O capitão ainda é importante para o time, mas seu rendimento caiu demais na atual temporada. O físico não acompanha e o dinamismo de seus passes não é o mesmo. O Barcelona precisa de um substituto para ele. Iniesta e Fàbregas podem trabalhar nesse sentido, mas ficaria faltando uma opção no banco para promover o rodízio do time ao longo do campeonato. Thiago Alcântara era o nome preparado pelo clube para isso, mas o ítalo-brasileiro que é espanhol foi vendido ao Bayern de Munique no ano passado. Outra possibilidade é reabilitar Alexandre Song, que anda tão encostado que é capaz de pessoas da comissão técnica nem lembrarem que ele faz parte do elenco.

Sucessão no banco

Alguns relatos da imprensa catalã dão conta que Gerardo Martino não pretende seguir no comando do Barcelona na próxima temporada, independentemente do que ocorrer nesta. Se essas informações se confirmarem, o clube fica em uma situação delicada para contratar o novo técnico. O novo treinador chegaria sem poder montar o time do seu agrado. Isso não torna o Barcelona menos atrativo, pois pouca gente diria “não” a um convite dos catalães. Mas a escolha pode se pautar por essa limitação. Por exemplo, buscar algum comandante com familiaridade com o sistema de trabalho do clube ou até que conheça bem os jogadores que lá estão.

Opções na base

O Barcelona B faz uma campanha apenas mediana na Segundona espanhola. Apesar de estar em sexto lugar, o que lhe daria um lugar na repescagem para brigar por uma vaga na elite (em teoria, pois o time filial não pode subir), são 13 vitórias e 13 derrotas em 32 jogos, com saldo de gols de apenas 1. Mas isso é o de menos. O problema é que as opções que o clube tem. Alguns dos jogadores mais promissores, como Gerard Deulofeu, Rafinha, Denis Suárez Jean-Marie Dongou e Adama Traoré, são atacantes (onde já há jogadores de sobra no elenco). Para o meio-campo e retaguarda, onde a reposição é mais necessária, há menos alternativas. Patric Gabarrón é uma boa aposta para o meio, mas os defensores Carles Planas e Sergio Gómez já têm 23 e 22 anos e é de se suspeitar por que eles não receberam tantas oportunidades até agora.