O Atlético de Madrid sabia que tinha uma missão praticamente impossível pela frente. Só que os colchoneros foram ainda mais maltratados pelo Real Madrid. Depois da derrota por 3 a 0 no Santiago Bernabéu, a equipe de Diego Simeone precisava agir rapidamente no Vicente Calderón, mesmo sem entrar em campo com força máxima. Aconteceu o contrário: os merengues abriram dois gols de vantagem logo nos primeiros 15 minutos, o suficiente para frear qualquer reação dos rivais. Vitória por 2 a 0, que garantiu o Real na decisão da Copa do Rei e impôs o terceiro revés consecutivo do Atlético.

O personagem do jogo foi Cristiano Ronaldo. Os dois gols do Real foram anotados pelo camisa 7, ambos de pênalti. E deixou muitos rojiblancos na bronca, diante das acusações de que teria se atirado no primeiro lance. A raiva chegou a ser materializada até mesmo na saída do craque para os vestiários, atingido na cabeça por um isqueiro vindo das arquibancadas (veja o vídeo abaixo). Apesar do susto, com o atendimento médico ainda no campo, nada que sequer tirasse Ronaldo de campo. Quem se deu mal mesmo foi Manquillo, lateral do Atleti, que machucou o pescoço em um lance bem feio, após se chocar justamente com CR7.

A queda para o Atlético na final de 2012/13 parece ter ensinado bastante ao Real Madrid. Tanto é que os merengues registram uma das melhores campanhas da história da Copa do Rei. É a primeira vez desde 1916 que um time chega à final do torneio invicto. E ainda com a façanha inédita de não ter sofrido um gol sequer em nenhum de suas oito partidas. Se Carlo Ancelotti quer ter uma temporada marcante em seu ano de estreia no Bernabéu, o primeiro passo já foi dado. Para levantar a primeira taça, no entanto, ainda resta passar por Barcelona ou Real Sociedad, quem sobreviver da outra semifinal.