Em dia de semifinal de Copa do Mundo, a melhor notícia relacionada ao futebol não vem da Rússia. Nesta terça-feira, enfim, as equipes de resgate na Tailândia conseguiram salvar os jovens jogadores do Wild Boars, uma equipe infantil do país. Doze garotos, de 11 a 16 anos, e seu treinador passaram 17 dias presos em uma caverna, a quase dois quilômetros da saída. O grupo fazia um passeio para comemorar o aniversário de um de seus colegas, quando trechos da trilha acabaram inundados. Depois de uma mobilização que envolveu diferentes países, os meninos tiveram um final feliz. E o mundo do futebol não deixou de se solidarizar.

A Fifa, por meio do presidente Gianni Infantino, ofereceu ingressos à final da Copa aos 12 jovens e ao treinador. Por conta das condições de saúde debilitadas, no entanto, eles não poderão viajar a Moscou. Ainda assim, a entidade internacional prometeu convidá-los a outro evento oportuno. “A Fifa gostaria de expressar sua alegria com as notícias do resgate. Fomos informados pela federação da Tailândia que os garotos não poderão viajar à final. A prioridade da Fifa é a saúde de todos envolvidos na operação e tentará encontrar uma nova oportunidade para convidar os garotos, compartilhando com eles um momento de comunhão e celebração. Também confirmamos que haverá um encontro com a federação tailandesa em Moscou, para discutir o assunto”, aponta nota oficial.

Também presentes na Copa do Mundo, Kyle Walker e Jack Butland se manifestaram sobre o assunto. Os jogadores prometeram enviar uniformes da seleção inglesa aos guris. Um dos meninos resgatado usava a camisa dos Three Lions. Já o Manchester United se antecipou, também garantindo que dará aos garotos e aos responsáveis pelo resgate a oportunidade de assistir a um jogo do time em Old Trafford. Outros clubes, como o Bayern de Munique, e jogadores, a exemplo de Toni Kroos e Paulo Dybala, festejaram a boa notícia. O futebol, afinal, manteve os Wild Boars juntos e o companheirismo em campo os ajudou a enfrentar as semanas de incertezas. Nada mais justo que a reação celebre a vida dos meninos e os esforços para salvá-los.