O Crystal Palace segue lutando contra o rebaixamento na Premier League, mas possui um cartel respeitável contra os clubes do topo da tabela. Derrotou o Chelsea e por muito pouco não quebrou a invencibilidade do Manchester City, se contentando com o empate após um pênalti desperdiçado nos minutos finais. Neste domingo, as Águias ficaram a um triz de frustrar também o Tottenham. Entretanto, aos 43 do segundo tempo, Harry Kane apareceu para calar a torcida no Selhurst Park, garantindo a vitória magra por 1 a 0. Não foi a melhor atuação do time de Mauricio Pochettino, mas valeu três pontos fundamentais e também a série de 15 jogos de invencibilidade – a melhor do clube por todas as competições desde 1999.

O Crystal Palace esboçou uma surpresa desde o primeiro tempo. Durante os 45 minutos iniciais, ameaçou o Tottenham com sua velocidade, embora também tenha se safado na defesa vez ou outra. A partir do segundo tempo, porém, a partida ficou a mando dos Spurs. Foi praticamente um monólogo, mas cujos protagonistas estavam do outro lado, especialmente o goleiro Wayne Hennessey. Até Harry Kane não parecia tão inspirado assim, desperdiçando mais chances como de costume – algumas delas bem claras. A insistência, contudo, valeu a pena. Aos 43, escanteio cobrado por Christian Eriksen encontrou a cabeça do artilheiro. Em seu sexto arremate na noite, ele guardou. Chega aos 24 tentos em 27 partidas pela Premier League.

Em uma rodada na qual dois de seus principais concorrentes se pegam, o Tottenham aparece provisoriamente no Top Four. Chega aos 55 pontos, um a menos que o Manchester United e dois à frente do Chelsea. Na quarta colocação, também está a dois pontos do vice-líder Liverpool. Posição que vale ouro a quem busca se garantir na próxima edição da Liga dos Campeões. O Palace, por sua vez, está um lugar acima da zona de rebaixamento, com a mesma pontuação do antepenúltimo Swansea, mas vantagem no saldo de gols.