Após o empate por 2 a 2 contra o Burnley, o técnico do Manchester United, José Mourinho, reclamou que o Manchester City, líder da Premier League, havia comprado laterais pelos preço de atacantes. Questionado se o seu clube também não havia gastado muito, quase £ 300 milhões desde que o português chegou, Mourinho respondeu que não havia sido o bastante, desencadeando uma ampla discussão sobre o assunto na imprensa inglesa.

LEIA MAIS: Discípulo de Mourinho, Terry confessa: treinamento de Conte no Chelsea era ainda mais duro

O comentarista e ex-zagueiro do Liverpool, Jamie Carragher, contribuiu com um ponto interessante para a discussão. Em uma coluna ao jornal Telegraph, afirma categoricamente que o Manchester United seria campeão inglês se fosse treinado por Pep Guardiola e justifica dizendo que muitos jogadores do City melhoraram sob o comando do espanhol, enquanto Mourinho não parece ter a paciência de desenvolver o talento que tem em mãos.

“Vamos voltar ao começo da temporada e avaliar a qualidade jogador por jogador dos times do United  e do City. Qual você diria que era superior? Ederson era considerado melhor que De Gea? Os zagueiros do City, Otamendi e Stones, eram preferíveis a Bailly e Phil Jones? Os torcedores do United queriam Fernandinho ou Matic? O United quebrou o recorde mundial de transferências para contratar Pogba e tornou Lukaku um dos jogadores mais caros da Premier League. Qual clube inglês fez uma afirmação maior das suas intenções? Quantos torcedores do United ou da Inglaterra teriam trocado Rashford por Sterling um ano atrás? E quando Martial chegou do Monaco, sua reputação não era maior do que a de Leroy Sané quando este chegou ao City? Apesar de ter sido contratado antes de Mourinho chegar, Luke Shaw foi um lateral de £30 milhões – mais caro do que o atacante Gabriel Jesus, do City. A conta da reclamação do técnico do United não fecha”, escreveu.

Carragher acredita que a diferença entre os dois treinadores é que Guardiola consegue entregar resultados imediatos ao mesmo tempo em que projeta o futuro, enquanto a principal qualidade de  Mourinho é encontrar uma maneira de vencer o mais rápido possível. Mas, para isso, ele precisa ter em mãos o produto final, como Pogba, Ibrahimovic, Lukaku e Mkhitaryan. “City está à frente nesta temporada porque Guardiola desenvolveu os jogadores em vez de esperar que talentos prontos produzissem resultados instantâneos. Mourinho tem cada vez mais se apoiado em jogadores experientes e estabelecidos. Se você quer evoluir um clube ou um time, você não liga para Mourinho. Ele é um técnico que navega em busca de troféus com times que tem o material bruto – o que ele já conseguiu fazer no United, com dois títulos em sua primeira temporada”, explicou.

Embora Carragher admita que a política de transferências do Manchester City envolva gastar altas quantias, argumenta que os valores são muitas vezes mais chamativos do que os nomes. Cita apenas Gündogan e Mendy como jogadores que já eram estrelas antes de chegarem ao Etihad Stadium e lembra que o espanhol melhorou também jogadores que estavam no clube, como Sterling, Silva e, principalmente, De Bruyne.

“Um símbolo disso é Kevin De Bruyne, um jogador que Mourinho treinou no Chelsea, mas que acabou sendo vendido. Ouvi todos os argumentos sobre os motivos de De Bruyne não ter se desenvolvido no Chelsea na era Mourinho, e o Chelsea não sofreu porque venceu o título duas vezes em três anos após vendê-lo. Mas outros treinadores teriam descartado tanto talento ou teriam encontrado uma maneira de desenvolvê-lo, de olho nos interesses de longo prazo do clube? É difícil acreditar que Guardiola teria treinado De Bruyne diariamente sem ver o que ele poderia se tornar”, afirmou.

“O poder financeiro permite a Guardiola criar um time à imagem do seu grande Barcelona, mas muitos desses jogadores que ele melhorou já estavam no clube. De Bruyne era um jogador excelente antes da chegada de Pep. Agora é o melhor jogador da Premier League. David Silva foi revitalizado com a mudança de posição para o centro do meio-campo. Quem mais o teria colocado ali? Delph e Otamendi seriam os jogadores que são sob o comando de Mourinho? Não esqueça que Guardiola também herdou um elenco envelhecido e precisou liberar e substituir muitos jogadores”, completou.

O caminho para Mourinho, segundo Carragher, é retornar às raízes, quando ajudou a melhorar e desenvolver jogadores na sua primeira passagem pelo Chelsea. “Seu legado será melhor se ele voltar ao que o tornou tão excepcional na sua primeira passagem pelo Chelsea, quando guiou jogadores como John Terry e Frank Lampard – que ele herdou e ajudou a melhorar – e Didier Drogba, que contratou e transformou em um dos melhores do mundo, depois de uma primeira temporada indiferente em Stamford Bridge”, encerrou.