Uma grande campanha não se determina necessariamente pelos bons jogos que um time faz. Ela se consolida principalmente pelas atuações ruins que, ainda assim, valem os três pontos. Em um campeonato de pontos corridos tão longo, é impossível arrebentar em todas as 38 rodadas. E o início excelente do Valencia em La Liga se valeu desta máxima neste domingo. Se os Ches já tinham vencido com certas dificuldades o Leganés duas semanas atrás, desta vez precisaram “saber sofrer” (esta expressão tão em moda, mas por vezes verdadeira) para conseguir superar o Espanyol no Estádio Cornellà El-Prat. O caminho só se abriu na reta final do segundo tempo, graças a um belo gol de Geoffrey Kondongbia, inaugurando o marcador no triunfo por 2 a 0. Resultado importantíssimo pensando o compromisso da próxima rodada, quando os valencianos recebem o Barcelona no Mestalla.

O Espanyol poderia ter fechado o primeiro tempo em vantagem. Os catalães acertaram a trave duas vezes, além de parar em boas defesas do goleiro Neto – em ótimo início em seu novo clube. Depois de mais alguns sustos, o Valencia só respirou aliviado a partir dos 21 minutos. Kondogbia recebeu na intermediária e acertou um belíssimo chute de fora da área, no canto do goleiro Pau López. Depois disso, os Ches teriam mais espaço para trabalhar e asseguraram a vitória. Rodrigo Moreno também acertou o poste, após defesa parcial do goleiro perico. Já aos 37, em uma pixotada de Víctor Sánchez, Santi Mina fechou a conta para os visitantes.

Ainda invicto, o Valencia chega aos 30 pontos no Campeonato Espanhol, um desempenho completamente impressionante após 12 rodadas – e mais para quem vinha de temporadas claudicantes. São oito vitórias consecutivas por La Liga, marca inédita na história do clube. E, por aquilo que vem exibindo, dá para falar que o time de Marcelino Toral empolga mais que o Barcelona. Que os blaugranas somem 34 pontos, as partidas são mais pragmáticas com Ernesto Valverde, dependendo principalmente da solidez defensiva e da qualidade individual para resolver no ataque – leia-se, principalmente, Lionel Messi. Por isso mesmo, a promessa é de jogaço no Mestalla. O momento perfeito para o Valencia ratificar suas pretensões e reafirmar a sua grandeza.