O dia havia amanhecido tipicamente cinza quando os primeiros torcedores se aglomeravam no Zócalo, no centro histórico da Cidade do México, para acompanhar por um telão o jogo contra o Brasil. Em plena terça-feira de Copa do Mundo, parecia que a metrópole não se deixava levar pela euforia de mais um jogo del “Tri”, como os mexicanos costumam carinhosamente chamam sua seleção, em alusão à bandeira tricolor. Apesar da vitória na estreia, ainda pairava no ar certa desconfiança sobre a capacidade do selecionado azteca em jogar um papel importante no certame mundialista, além de todo o respeito que sentiam contra um adversário como o escrete canarinho – apesar de pérolas scolarianas como Fred, Jô e Murtosa.

Confira o texto completo no Impedimento.