O Fluminense passeou na Copa Sul-Americana. A Universidad Católica de Quito pode ter a altitude a seu favor, mas é difícil imaginar que os equatorianos conseguirão reverter o placar do primeiro jogo dos 16-avos de final. Os tricolores golearam por 4 a 0 no Maracanã, sem precisar se esforçar muito. Atuação soberana do time de Abel Braga, que, mais uma vez, contou com o destaque de sua ótima geração de pratas de casa. E, de novo, Wendel roubou a cena. Não bastassem todas as virtudes que apresenta no meio de campo, o camisa 6 ainda vive uma fase iluminada. Pelo terceiro jogo consecutivo, balançou as redes. Novo golaço.

Os 45 minutos iniciais bastaram para que o Fluminense resolvesse o jogo. Contando com a complacência da defesa da Católica, Henrique Dourado marcou duas vezes e Richarlison também deixou o seu. Mas o melhor ficaria para os 10 minutos da etapa complementar. Wendel já tinha sido oportunista no clássico contra o Flamengo, assim como acertou um lindo chute diante do São Paulo. Com a confiança lá em cima, foi ainda mais feliz ao soltar o pé e correr para o abraço. Ajeitou a bola, antes de mandar uma bomba com efeito, no ponto mais perfeito do ângulo. Completamente indefensável. Matou a coruja.

O volante de 19 anos saiu aos 30 minutos. Levou uma pancada no joelho e Abel Braga preferiu tirar o seu prodígio por precaução. Certamente se arrepiou quando ouviu seu nome gritado pelo Maracanã, enquanto era atendido. Por tudo o que vem jogando, a homenagem é merecida. O futuro do novato, assim como de outros garotos de Xerém buscando seu espaço, é bastante promissor.