A Bélgica teve que esperar 12 anos para voltar a disputar uma Copa do Mundo e 28 anos para rever, enfim, sua equipe nas quartas de final do Mundial. O momento é de êxtase. Desde a primeira partida, quando venceu a Argélia por 2 a 1, a comoção da torcida nas ruas é semelhante à de uma equipe que recém levantou a taça. Buzinaços, gritos, vuvuzelas. Uma multidão em vermelho, amarelo e preto se forma a cada fim de jogo em diversas cidades do país. A música dos bares é sempre uma versão de “Aquarela do Brasil”, adotada pela torcida como hino de apoio à equipe belga a partir da sua classificação para o Mundial.

Leia o texto completo no Impedimento