A federação togolesa anunciou nesta quarta o novo treinador da seleção. Após a polêmica em torno da permanência ou não de Stephen Keshi à frente da seleção, a entidade confirmou a saída do nigeriano em virtude do fraco desempenho na Copa Africana de Nações. O substituto será o alemão Otto Pfister.

“Assinamos um contrato de curta duração com Pfister durante o fim de semana. O contrato cobre o período da Copa, mas poderá ser prolongado se os resultados no torneio forem bons”, disse Rock Gnassingbe, presidente da federação togolesa, em entrevista à agência de notícias Reuters.

Pfister, de 67 anos, já treinou as seleções do Zaire e de Gana, além de trabalhar em alguns clubes do Egito. Keshi conduziu o Togo a uma inédita vaga na Copa. Ele havia assumido o comando do time no meio das eliminatórias no lugar do brasileiro Antônio Dumas.

O novo treinador afastou os jogadores brasileiros naturalizados togoleses da equipe e superou o Senegal na disputa por uma vaga. Na CAN, porém, Keshi enfrentou problemas de relacionamento com Emmanuel Adebayor, principal jogador do time. Togo perdeu os três jogos que fez no torneio.