A série de jogos invictos do Parma cresce na mesma medida que a descrença por sua continuidade aumenta. Neste domingo, o time alcançou 16 jogos sem perder, com nove vitórias e sete empates. A vitória deste domingo foi muito significativa. O adversário era o Milan, em San Siro, mas isso não intimidou os Ducali. Antonio Cassano, chamado de “FantAntonio” por seus lances mágicos, foi decisivo. Schelotto também foi muito bem e até Amauri, que entrou no segundo tempo, foi bem.  A vitória por 4 a 2 do Parma sobre o Milan evidenciou que Clarence Seedorf, em sua primeira experiência como técnico, terá muito, mas muito trabalho para resolver os problemas dos rossoneri, especialmente a defesa, o principal defeito do elenco.

A partida da equipe de Milão foi insossa. O time tem um padrão, mantém a posse de bola, mas a boa partida de Cassano e a precipitação da defesa do Milan fez o time sofrer desde o começo. Logo a cinco minutos, Cassano achou Schelotto pela direita, na cara do gol. Abiatti o derrubou dentro da área, foi expulso e ainda deu um pênalti ao adversário. Cassano não desperdiçou e abriu o placar. O Milan foi ousado, passou a tentar controlar o jogo no meio-campo, fez força para fazer valer a camisa, a tradição, o time tecnicamente melhor. Pouco conseguiu. Uma bola na trave de Balotelli depois de uma cobrança de escanteio foi a chance mais clara que o time teve. Pouco para quem tinha Kaká e Balotelli em campo. O último, aliás, fez mais uma vez bem menos do que se esperava. Kaká ainda tentou um pouco mais, mas tecnicamente não estava em um grande dia. Pouco conseguiu fazer.

Veio o segundo tempo. O Milan tinha vontade, é verdade,mas o Parma começou a explorar os espaços com perigo. Em uma descida pela direita, depois de cruzamento para a área, Cassano recebeu, fintou e chutou rasteiro, de dentro da área, para marcar 2 a 0 para os visitantes. E agora, Milan? E aí que Seedorf não se intimidou. Tentou mudar o time, tornar mais ofensivo mesmo com um jogador a menos. O time se esforçou, tentou com diversos lances, até que conseguiu um gol de cabeça de Rami. O jogo esquentou. O Milan passou a jogar mais no campo de ataque e o Parma, com um a menos, se defendia e só tentava agredir nos contra-ataques.

Quando Montolivo entrou na área e caiu depois de disputa de bola com Obi, o árbitro marcou pênalti. Uma falta que não aconteceu, mas Balotelli foi lá e converteu. Parecia que o Milan teria uma reação épica. Só parecia. Dois minutos depois, Schelotto, um dos melhores do jogo, recebeu pela direita e cruzou rasteiro para Amauri, que entrou no lugar de Cassano. Ele deu uma letra, fez o gol e colocou de novo o time em vantagem. Já nos acréscimos, Biabiany completou o placar, aproveitando – adivinhe – uma falha defensiva do Milan, que ficou assistindo o camisa 7 do Parma tentar uma vez, pegar o rebote e completar.

Kaká e Balotelli jogaram muito abaixo do que podem, com desempenho de jogadores comuns, errando demais. O time depende demais dos dois e Seedorf preferiu não usar nem Honda nem Taraabt, duas boas opções no banco de reservas. O técnico teve que usar uma alteração para colocar Amelia, outra para colocar Rami e tentar melhorar a defesa. Na terceira, colocou Pazzini em campo. Foi insuficiente.

Balotelli e Kaká: atuações apagadas pelo Milan contra o Parma (AP Photo/Luca Bruno)

Balotelli e Kaká: atuações apagadas pelo Milan contra o Parma (AP Photo/Luca Bruno)

O Milan é só o 11º colocado na Serie A, com 35 pontos em 28 jogos. Uma campanha muito fraca para quem buscava ao menos conseguir uma vaga na Liga dos Campeões. Pelo futebol que apresenta, a posição parece adequada. O time só tem a próxima temporada para pensar daqui por diante. E precisa pensar muito bem em uma reformulação do elenco, especialmente a defesa.

O time tem problemas sérios no setor, jogadores muito abaixo da média. Mexès é o melhor do setor, mas ainda assim tem ido muito mal, não é confiável. A marcação no meio-campo não tem ido bem, mesmo com De Jong e Essien – que acabou sacrificado logo no início neste domingo pela expulsão de Abiatti. O time tem dificuldades, faz poucos desarmes e sofre com os ataques adversários.

O Parma já é quinto colocado. Com um jogo a menos, ainda pode até passar a Inter, quarta colocada, mas o jogo é difícil, com a Roma, fora de casa. Só que quem duvidaria de um time que tem surpreendido tanto?