France Soccer Champions League

Passada a obrigação, o PSG agora pode mostrar a que está disposto na Champions

A classificação do Paris Saint-Germain na Liga dos Campeões era mais do que esperada. Afinal, a equipe de Laurent Blanc já tinha feito o trabalho pesado no primeiro jogo. Se o Bayer Leverkusen se sugeria um adversário difícil na Alemanha, não foi isso que os parisienses encontraram na BayArena. Goleada por 4 a 0 dos visitantes. Uma tranquilidade que permitiu até que o PSG empurrasse com a barriga o duelo de volta, no Parc des Princes. Mesmo escalando um time misto e recebendo um adversário afim de limpar a honra, os franceses venceram de virada por 2 a 1 e confirmaram a praticamente certa vaga nas quartas de final.

Dá para dizer até que o Leverkusen assustou. Os alemães começaram a partida propondo o jogo e acharam um gol rapidamente, em cabeçada de Sidney Sam que contou com a condescendência dos defensores adversários. O suficiente para fazer o PSG, mesmo desinteressado, acordar. Pouco depois, Marquinhos empatou após cobrança de escanteio e Ibrahimovic quase confirmou a virada ainda no primeiro tempo, em cavadinha que caprichosamente beliscou a trave. Já do outro lado, o Leverkusen também teve a chance de retomar a vantagem, mas o pênalti cobrado por Simon Rolfes parou em Salvatore Sirigu.

Na volta do intervalo, um segundo tempo arrastado. Muito porque Ezequiel Lavezzi decretou a virada rapidamente. E, entre uma defesa e outra de Sirigu, o melhor em campo, o Leverkusen ficou impotente a partir dos 20 minutos, quando Emre Can acabou expulso. No restante do tempo, algumas tentativas dos parisienses em ampliar o marcador e caretas de Ibrahimovic, mais por graça do que por insatisfação, ao ser substituído por Jérémy Ménez.

Ainda que o Leverkusen tenha seus predicados, dá para dizer que o PSG não fez mais que sua obrigação. E agora é que começa o desafio real aos campeões franceses na Liga dos Campeões. Os xeiques catarianos nunca esconderam que o grande objetivo é a conquista continental. Mas, a não ser que o time seja sorteado contra Olympiacos ou Galatasaray (e os dois consigam passar por Manchester United e Chelsea), o time de Laurent Blanc terá um adversário de peso pela frente.

Um teste de verdade já tinha acontecido em 2012/13, quando o Paris Saint-Germain encarou o Barcelona. E em um momento de alta dos blaugranas, ainda que precedesse as chineladas contra o Bayern de Munique. Os parisienses tiveram atuações dignas e deram um suadouro nos catalães. Se conseguissem a classificação, não seria nenhuma injustiça. Com o time mais maduro, uma campanha até às semifinais, repetindo o feito de 1994/95, é bastante possível. Blanc conta com uma defesa bem estruturada, um meio-campo sólido e vastas opções no ataque. Além, é claro, de Zlatan Ibrahimovic.

O sueco pode ter fama de falhar nos mata-matas. E tem sua melhor chance de provar o contrário desta vez. Com um time que joga praticamente em sua função e em uma fase esplendorosa. Dentre os possíveis rivais na próxima fase, só Bayern de Munique e Real Madrid parecem claramente um degrau acima dos franceses, tanto por elenco quanto por fase. No entanto, com um Barcelona, um Chelsea ou um Borussia Dortmund pelo caminho, o clube tem uma grande oportunidade para provar a sua evolução. Pode ser ‘O momento’, tanto para o PSG quanto para Ibra.