A temporada não tem sido nada fácil para Paulão. O zagueiro defende os verdiblancos há dois anos e meio, um dos mais jogadores antigos do elenco. Mas tem sido um dos personagens centrais da queda do clube à segunda divisão do Campeonato Espanhol. O brasileiro já foi vítima de racismo de seus próprios torcedores, ao ser expulso no clássico contra o Sevilla, no qual os rivais venceram por 4 a 0. Também perdeu boa parte dos jogos do segundo turno por um problema de hérnia. De volta ao time titular há pouco mais de um mês, saiu de campo às lágrimas no jogo que praticamente selou o rebaixamento do Betis, neste domingo.

>>> A cara dos racistas está aí, agora é só punir

A atuação de Paulão foi trágica na derrota por 3 a 1 para o Rayo Vallecano. Primeiro, recuou uma bola errada, que deu a brecha para Rochina abrir o placar. Minutos depois, desviou o cruzamento contra as próprias redes. O baque do zagueiro foi visível, consolado por companheiros e por adversários. Logo depois do lance, Paulão já pediu para ser substituído. Deixou o campo cinco minutos depois, dando lugar a Vadillo.

Para se salvar, agora, o Betis precisa vencer seus quatro jogos restantes e torcer para que Valladolid e Getafe não marquem mais do que um ponto, enquanto Almería não some mais do que três. Uma missão praticamente impossível para os verdiblancos. E que deixará Paulão durante boas noites sem dormir.