A última semana de amistosos das seleções que disputarão a Copa do Mundo não tem sido das mais animadas. As lesões viraram um temor evidente, somando-se à falta de ânimo para jogos que não valerão muita coisa. Pois em pelo menos um detalhe algumas dessas partidas têm servido para testar as equipes rumo ao Mundial: o confronto com os fenômenos da natureza. Se a competição no Brasil gera preocupações pelos extremos geográficos, Inglaterra e Bélgica estão aprovadas pelos riscos que passaram.

No jogo dos belgas, o problema foi o granizo. O gelo começou a despencar do céu de Bruxelas durante o duelo contra a Tunísia. Fez a bola parar de rolar por alguns minutos, antes que Dries Mertens marcasse o gol da vitória dos Diabos Vermelhos por 1 a 0 – e que Romelu Lukaku deixasse sua torcida preocupada, ao deixar o campo mancando. Já a Inglaterra encarou em Miami um calor digno de Manaus. E também uma tempestade de raios que fez o jogo contra Honduras também ficar paralisado. Na volta, o ânimo dos dois times voltou acirrado e, com mais pancadas do que qualidade técnica, a partida terminou no 0 a 0.

Por fim, a Espanha foi outra favorita a entrar em campo neste sábado. Nenhum problema com a natureza para a Fúria, que superou El Salvador por 2 a 0. O destaque foi David Villa, que anotou os dois tentos dos atuais campeões do mundo. Mas a boa notícia mesmo foi a volta de Diego Costa, que permaneceu em campo até meados do segundo tempo e pareceu estar bem fisicamente, ainda que sem demonstrar seu ímpeto característico.

Abaixo, os vídeos dos raios em Miami e do granizo em Bruxelas: