Oito dias antes dos 29 anos da tragédia de Hillsborough, Everton e Liverpool se encontraram para mais um clássico citadino, pela 32ª rodada do Campeonato Inglês. E mesmo jogando com um time misto, já visando manter os titulares em forma para a volta das quartas de final da Liga dos Campeões, contra o Manchester City, os Reds tiveram mais chances de vencer. Só pararam em Jordan Pickford. Com suas defesas, o goleiro do Everton foi o grande responsável pelo 0 a 0 em que a partida terminou no Goodison Park.

Durante os 45 minutos iniciais, o Liverpool se valeu da troca de passes para conseguir se aproximar do gol. Aos 12 minutos, James Milner cruzou da esquerda, e Dominic Solanke cabeceou, rente à trave esquerda do gol de Pickford. Aos 15, novamente, Solanke perdeu ótima oportunidade. Após cruzamento, a bola bateu em Leighton Baines, e o atacante completou de primeira para ótima defesa de Pickford, no reflexo. Na sequência, o próprio Solanke chutou forte, e o goleiro do Everton rebateu.

Até ali, os mandantes só se arriscavam em chutes inócuos, como aos 13 minutos, num arremate de Cenk Tosun, por cima do gol. Os Toffees só conseguiram a primeira chance real pelo único destaque até ali: Yannick Bolasie. O atacante dominou nas proximidades da área, e bateu colocado, para Loris Karius espalmar, à esquerda do gol. Aos 30 minutos, o chute colocado foi de Milner. E a boa defesa foi novamente de Pickford, espalmando e evitando o gol dos Reds pela segunda vez. O guarda-metas reapareceu aos 34, defendendo quando Virgil van Dijk mandou a bola no canto direito.

No segundo tempo, as chances do Liverpool diminuíram. Mesmo com a massiva posse de bola – que chegou a ser de 86 por cento, a certa altura da partida -, os Reds apenas conseguiam cercar a grande área, sem finalizar. Nem mesmo as entradas de Alex Oxlade-Chamberlain e Roberto Firmino mudaram o cenário. Sorte do Everton, que conseguiu espaço para contragolpes perigosos na parte final do jogo. Assim foi aos 30 minutos, quando Cenk Tosun chegou atrasado para um cruzamento. Depois, Theo Walcott escorregou antes que o cruzamento de Dominic Calvert-Lewin chegasse a ele. Aos 42 minutos, Tosun cabeceou no contrapé de Karius, mas Seamus Coleman chegou atrasado para escorar na pequena área. E aos 43, a chance derradeira, num chute de Calvert-Lewin para fora. Ficou mesmo o 0 a 0 no placar. Muito por causa do que Pickford fez no primeiro tempo.