A Inglaterra chegou às semifinais da Copa do Mundo pela terceira vez na história. O elenco cheio de jovens comandado por Gareth Southgate já superou as expectativas que haviam antes do começo do torneio e, com Croácia ou Rússia como adversárias da próxima partida, pode sonhar com uma decisão. Jordan Handerson tem um papel importante nessa trajetória, como um dos jogadores mais experientes da equipe e um dos pilares do meio-campo.

LEIA MAIS: A tranquilidade da Inglaterra foi garantida por três defesaças de Pickford, eleito o melhor em campo

Aos 28 anos e capitão do Liverpool, costuma usar a braçadeira quando Harry Kane não pode jogar. Curiosamente, apesar dessa liderança, foi Henderson o único inglês que perdeu pênalti na disputa contra a Colômbia, nas oitavas de final. Mas Uribe e Bacca também desperdiçaram suas cobranças, a Inglaterra passou às quartas.

A falha não atrapalhou a boa atuação de Henderson na vitória por 2 a 0 sobre a Suécia, nas quartas de final. Ele é o volante do time. À frente dos três zagueiros, fornece sustentação pelo meio para que Lingaard e Delle Ali cheguem à frente com frequência. Também ajuda na saída de bola e precisa ficar esperto para os contra-ataques. É o jogador que dá equilíbrio para o setor.

Conseguiu três interceptações contra a Suécia, mais do que qualquer companheiro. Bloqueou três chutes e deu três desarmes. Seu melhor lance foi um lindo lançamento do meio-campo que deixou Sterling na cara do gol, mas o atacante do Manchester City desperdiçou a oportunidade.

Substituído aos 40 minutos do segundo tempo, saiu aplaudido de campo, um reconhecimento bacana para a sua importância. Afinal, desde a derrota para o Uruguai, na segunda rodada da fase de grupos da Copa do Mundo de 2014, a Inglaterra não é derrotada quando Henderson está em campo. São 30 partidas de invencibilidade.