O técnico do Tottenham, Mauricio Pochettino, teve uma atitude gigante com Ryan Mason, que anunciou aposentadoria após uma grave lesão na cabeça. Aposentado aos 26 anos, o meio-campista ganhou uma nova perspectiva com o ex-treinador, que abriu as portas para que ele integre a comissão técnica do Tottenham.

É mais do que um ato de compaixão com alguém que teve uma relação muito próxima. O técnico argentino diz que Mason tem um “incrível cérebro de futebol” que o fará ter sucesso em qualquer cargo no esporte que ele decida exercer. Mason jogou 53 jogos de Premier League sob o comando de Pochettino. E o treinador contou como foi o dia que conheceu o jogador, ainda uma promessa da base que andava de cabeça baixa.

“Eu lembro muito bem como eu o encontrei no primeiro dia; sentado na academia, cabeça baixa e tão triste”, contou Pochettino. “Eu perguntei a Jesus [Pérez] ‘quem é esse cara?’ e ele me disse ‘Ryan Mason, que nas últimas cinco temporadas ele sempre esteve emprestado e nunca jogava porque ele sofria muitas lesões’”, contou ainda o treinador.

“Foi difícil para ele no começo porque ele sofreu para lidar com as sessões de treinamento, porque eram muito duras. Mas quando viajamos para os Estados Unidos e eu o encontrei no aeroporto e, por 30 minutos, nós compartilhamos e eu disse depois disso para Jesus: ‘Uau, eu amo Ryan’. Eu não sabia se ele jogava bem ou não, mas eu gostava dele como pessoa”, contou o treinador.

“Depois, no primeiro jogo contra o Seattle, ele entendeu tudo. Depois de apenas alguns treinos táticos, ele foi rápido e entendeu tudo – o movimento, o tempo e o conceito – e talvez para outro jogador demorasse toda a temporada e eu disse: ‘Nós temos na nossa frente um jogador muito bom’”, revelou. “Sempre ele é e será um jogador especial para mim porque ele representa um pouco da mudança de todos os processos quando chegamos ao Tottenham”.

“Certamente ele foi um jogador muito bem-sucedido e certamente ele será uma pessoa muito bem-sucedida no futebol e tudo que ele passa. É uma notícia muito triste, mas abre um imenso futuro para ele. Ele tem 26 anos, mas é uma pessoa incrível e ele tem um cérebro de futebol incrível”.

“É claro que a porta está aberta para ele, eu mesmo, a comissão técnica e o clube, porque nós o amamos aqui e toda sua família. Nos últimos dias ele esteve no centro de treinamento. Ele estava falando muito conosco, com a comissão técnica e o [técnico da base] John McDermott”, continuou Pochettino. “Não se preocupe, Ryan, porque você será uma pessoa bem-sucedida no futebol fora de campo, sem dúvida sobre isso”.

Mason ganhou espaço no Tottenham só em 2014, depois de se profissionalizar em 2008. Passou por Yeovil Twon, Doncaster Rovers, Milwall, Lorient e Swindon Town antes de passer a ser aproveitado pelo time. Ganhou espaço que era do badalado Paulinho e herdeu a camisa 8 quando o brasileiro deixou o clube. Em 2016, quando ele mesmo perdeu espaço, foi vendido ao Hull City por 13 milhões de libras, recorde do clube na época. Sofreu a lesão no dia 22 de janeiro de 2017, em choque com Gary Cahill.