Dzeko faz parte do excelente elenco do Manchester City (Foto: AP)

Por que parece que o City não vai mais largar a liderança na Inglaterra

Depois de um Campeonato Inglês conquistado pelo Manchester United com quatro rodadas de antecedência, não dá para reclamar da disputa da atual edição, que teve pelo menos quatro clubes brigando pelo título, em algum momento dessas 23 rodadas. No entanto, parece que finalmente um favorito se destacou.

O Manchester City goleou o Tottenham, por 5 a 1, em White Hart Lane, com uma mãozinha da arbitragem – que anulou o gol que seria o do empate por 1 a 1 da equipe da casa e deu um pênalti meio duvidoso no segundo do City -, mas a superioridade dos visitantes foi tão grande que fica difícil achar injustiça no resultado.

O time do técnico Manuel Pellegrini chegou a 53 pontos, um a mais que o Arsenal, e assumiu a liderança. Vamos explicar por que achamos que será difícil tirar o City da ponta, mas também ponderar que há alguns motivos para acreditar que isso é possível.

Por que não vai largar

Nenhuma equipe está tão embalada quanto o Manchester City. A vitória contra o Tottenham foi a oitava seguida na Premier League. Contando todas as competições, não perde desde 10 de novembro. São 20 jogos de invencibilidade. O time de Manuel Pellegrini marcou pelo menos uma vez em todos eles. Em casa, é soberano. Ganhou 17 das 18 partidas na temporada no Etihad Stadium. Foi derrotado apenas pelo Bayern de Munique, na Liga dos Campeões.

A qualidade do elenco é obscena. O ataque tem Agüero, em excelente fase, Negredo e Dzeko, além de Jovetic, que custou € 26 milhões e não tem jogado muito, mas até fez gol na partida desta quarta-feira. Também sobram jogadores no meio-campo, que tem Yaya Touré, Fernandinho, Javi García, Jesús Navas, Nasri e Silva. Depois de um período de adaptação, Pellegrini já está familiarizado com esse elenco e vai saber usar as peças da melhor forma possível.

O que pode atrapalhar
Depois de cinco jogos, Agüero voltou a se machucar (Foto: AP)

Depois de cinco jogos, Agüero voltou a se machucar (Foto: AP)

O Manchester City tem dois confrontos difíceis contra o Barcelona pela Liga dos Campeões, o primeiro deles logo depois das oitavas de final da Copa da Inglaterra contra o Chelsea. Até a segunda partida, joga duas vezes pela Premier League e disputa a decisão da Copa da Liga Inglesa, contra o Sunderland. Será complicado Pellegrini administrar quatro campeonatos diferentes praticamente ao mesmo tempo.

Muito forte em casa, o City não vai tão bem quando atua fora dela. Em 12 jogos de Premier League em território hostil, perdeu quatro, empatou dois e venceu meia duzia. É verdade também que está invicto há seis partidas, mas vai que a tendência se inverte mais uma vez, até porque a maioria dos seus jogos mais complicados até o fim do campeonato é longe Etihad: Manchester United, Arsenal, Liverpool e Everton.

Agüero vinha voando com 12 gols em em 11 jogos antes de machucar a panturrilha no meio de dezembro. Ficou um mês fora e voltou contra o Blackburn, em 15 de janeiro. Marcou sete vezes em cinco partidas, uma delas contra o Tottenham, nesta quarta, mas sentiu a perna em um pique e desceu para os vestiários de White Hart Lane mancando. Pode não ser nada sério, mas o físico do argentino não parece estar muito confiável.