Contratar Adriano Imperador em 2014 parece uma bomba. Um jogador que não atua há dois anos, que teve graves problemas disciplinares, ficou fora de forma boa parte do tempo desde seu último pico, em 2009. São muitos os motivos para não assinar contrato com o atacante. Só que o Atlético Paranaense resolveu que vale a pena. Pode parecer uma loucura, mas é uma ótima ideia do Furacão. Calma, não estamos malucos.

A falta de talentos na posição

Felipão bem sabe: faltam bons centroavantes no futebol brasileiro. Aliás, sendo mais preciso, faltam bons centroavantes brasileiros atuando em qualquer lugar. Os dois nomes da Seleção Brasileira têm problemas. Fred é o melhor nome, mas mesmo assim sofre com problemas de lesões. Jô foi o melhor centroavante do primeiro semestre de 2013, mas desde então seu futebol está sumido.

Os destaques do futebol brasileiro na posição também são questionáveis. Walter mostrou o enorme talento que tem, mas o seu excesso de peso cria desconfianças. Hernane “Brocador” se tornou xodó do Flamengo, mas está longe de ser um primor de técnica. Alan Kardec foi destaque do Palmeiras em 2013, mas é bom lembrar que ele jogou a Série B. Leandro Damião nunca mais foi o mesmo desde aquele excelente ano de 2011. Alexandre Pato sonha com o tapete do Oscar, enquanto seu futebol desapareceu. E ainda que o Atlético quisesse apostar em qualquer um deles, não teria como bancar nem a contratação, nem os salários.

Adriano é uma opção mais barata. A Gazeta do Povo fala em um salário de R$ 100 mil, com bônus por produção. É um salário alto, mas para trazer um jogador com o potencial de Adriano, não teria como ser diferente. Considerando as opções de ataque do Furacão, Adriano tem tudo para contribuir. Ederson e Marcelo formam a dupla titular, com Bruno Mendes, Douglas Coutinho, Bruno Furlan e Mosquito como opções. É um time de garotos. Adriano pode ajudar a dar mais qualidade e experiência, mesmo que não volte a jogar todo seu potencial – e não deve voltar mesmo.

Perda de qualidade e experiência no elenco para 2014

A campanha do Furacão em 2013 foi surpreendente e teve como um dos protagonistas o experiente meia Paulo Baier, de 39 anos. Os desentendimentos com a diretoria não eram novos e a renovação que foi prometida durante o Campeonato Brasileiro não aconteceu. Sua saída fez o time perder em experiência e qualidade. Everton, meia canhoto que foi para o Flamengo, também fará falta.

Não foi possível repor nenhum desses jogadores em qualidade e nem em experiência, mas a chegada de Adriano dá opções. Com ele como centroavante, Ederson pode ser opção também pelos lados do campo, quando necessário, e não só pelo meio. Em um momento que o Furacão precise de um gol, pode ser uma forma de pressionar colocando os dois juntos e Marcelo.

Em termos de experiência, a chegada de Adriano fortalece o elenco, que é muito jovem. Mesmo não sendo mais o Adriano espetacular que ganhou apelido de Imperador na Internazionale, chamará a atenção da marcação quando estiver em campo.

Problemas financeiros dificultam contratações

Não é segredo para ninguém que o Atlético está seriamente comprometido financeiramente por causa do estádio. Os anos que se aproximam devem ser difíceis e a participação do time em um torneio como a Libertadores é uma ótima oportunidade para aumentar um pouco as receitas. Contratar um jogador de peso seria inviável, por tudo que já foi dito. Por isso, Adriano acaba sendo uma boa por ser de graça, já que estava sem clube.

Não será um jogador barato em termos de salário, mas Ciro e Roger também custavam caro e ficaram na reserva praticamente toda a temporada. Adriano ao menos mete mais medo na marcação e tem mais talento que qualquer outro atacante no futebol brasileiro. A questão, como foi nas últimas vezes, é se ele conseguirá mostrar ao menos parte disso em campo.

Em um jogo difícil na Libertadores, é melhor olhar para o banco e ver Adriano como opção do que ter apenas Douglas Coutinho ou Bruno Mendes, jogadores com algum potencial, mas ainda bastante inexperientes. Adriano é uma opção ótima para o Atlético Paranaense. Talvez não valesse se o clube fosse outro, mas o fato é que para o Furacão a aposta faz todo sentido. Considerando as possibilidades de contratação do Atlético, a pergunta não deveria ser por que contratar Adriano e sim por que NÃO contratar. Isso tudo não quer dizer que vai dar certo. Ninguém aqui quer prever o futuro. A questão é pensar se a contratação faz sentido. E para o Furacão, a resposta parece ser sim.