O Benfica pode conquistar até quatro títulos na temporada (Foto: AP)

Portugueses têm chances de fazer bonito na Liga Europa

Desde a temporada 2010/11, o futebol português sempre conta com pelo menos um representante nas semifinais da Liga Europa. Agora, com Benfica e Porto nas quartas de final e enfrentando adversários possíveis de serem superados, as chances de o bom retrospecto ser mantido são grandes.

O sorteio da Uefa foi generoso, especialmente para o Benfica. Os encarnados, que eliminaram o Tottenham nas oitavas de final, vão encarar os holandeses do AZ Alkmaar. Já o Porto, que deixou o Napoli para trás, terá de medir forças com o Sevilla.

O time de Jorge Jesus é claramente o favorito em seu duelo. Atual sexto colocado no ranking da Uefa, o Benfica ocupa a melhor posição na lista entre todos os classificados para as quartas de final. Curiosamente, o AZ é o 38º e pior colocado entre aqueles que seguem vivos na competição.

Os encarnados lideram com folga o Campeonato Português (sete pontos à frente do Sporting, vice-líder) e vivem um momento brilhante. O time não é derrotado desde 5 de novembro do ano passado, quando caiu perante o Olympiacos, pela Liga dos Campeões. De lá para cá, somando todas as competições, são 23 vitórias e 3 empates. O 2 a 2 com o Tottenham, aliás, quebrou uma série de dez triunfos consecutivos. Mas gerou outro recorde: nunca um clube português havia conseguido alcançar as quartas de final de competições europeias cinco vezes seguidas.

Muito criticado – e com razão – na temporada passada, quando foi apontado como o culpado pelos sucessivos fracassos benfiquistas, o técnico Jorge Jesus pode ser classificado, agora, como um dos principais responsáveis pela grande campanha. Além de ter o título português muito perto de ser conquistado e de contar com boas chances na Liga Europa, o Benfica ainda é semifinalista da Taça de Portugal e da Taça da Liga (enfrentará o Porto em ambas). Embora ganhar tudo seja uma missão muito complicada, há quem sonhe com quatro troféus na galeria ao final da temporada.

Jorge Jesus não esconde, porém, que a prioridade sua e do clube é a competição nacional. Por isso, vem fazendo rodízio de jogadores nos outros campeonatos. Uma estratégia que deu certo e que mostra os méritos do treinador e da diretoria, por montar um elenco competitivo. À essa altura da temporada passada, 11 jogadores tinham jogado mais da metade dos jogos. O número, agora, caiu para oito. E apenas três deles (Luisão, Garay e Enzo Perez) estiveram em campo mais de 75% do tempo.

Benfica e AZ nunca se enfrentaram. Irão debutar como adversários no dia 3 de abril, na Holanda. Uma semana depois, decidem a vaga no estádio da Luz.

Por sua vez, o Porto deve ter um confronto um pouco mais equilibrado. O time é o 10º colocado no ranking da Uefa, enquanto o seu adversário ocupa a 31ª posição. Mas os dragões sabem que não devem se iludir pela diferença no ranking, principalmente por conta dos momentos distintos vividos pelas equipes.

Enquanto o Sevilla comemora o fato de ter eliminado o rival Betis na Liga Europa e faz campanha regular no Campeonato Espanhol, o Porto vive às voltas com sua crise. A demissão de Paulo Fonseca ainda repercute nos corredores do estádio do Dragão e Luís Castro, o técnico-tampão que assumiu até o final da temporada, ainda não conseguiu se firmar. Sob o comando dele, até agora, foram duas vitórias, um empate e uma derrota.

Depois de perder o clássico para o Sporting na rodada passada, o que restava de esperança de conquistar o Campeonato Português ficou para trás. Faltando sete rodadas, a diferença do Porto para o líder Benfica é de 12 pontos. Se não abrir o olho, o time corre até o risco de perder a terceira posição para o Estoril (são quatro pontos que separam ambas as equipes) e ficar fora da Liga dos Campeões da próxima temporada.

Para piorar as coisas, o goleiro Helton sofreu uma ruptura no tendão de aquiles durante o clássico. Ele já foi operado e ainda não tem previsão para o retorno aos gramados. O alento é que o brasileiro Fabiano, novo titular, esteve bem na partida diante do Napoli e fez importantes defesas.

Por tudo isso, a Liga Europa pode ser a redenção do Porto. Se o time não é favorito contra o Sevilla, certamente eliminar os espanhóis também não será considerada uma zebra. As apresentações feitas contra o Napoli, especialmente segurando os italianos no San Paolo, mostram que os torcedores azuis podem, sim, sonhar com um final de temporada melhor do que se imaginava.

A situação parece bem compreendida por Luís Castro quando o técnico fala em criar uma “dinâmica de vitória”. A melhor sequência de resultados positivos da equipe foi obtida no início da temporada, quando venceu os seis primeiros jogos, mas todos contra adversários de menor expressão. Desde então, o Porto não conseguiu mais embalar. Castro acredita, com razão, que o segredo para o sucesso é a entrega dos jogadores, como aconteceu em Nápoles.

Antes de encarar a primeira partida contra o Sevilla, o Porto fará o clássico contra o Benfica, pela semifinal da Taça de Portugal (os times se enfrentam também na semi da Taça da Liga, mas ainda sem data definida). Se não pode tirar o rival da quase certa conquista do Campeonato Português, eliminá-lo nas taças domésticas seria um combustível e tanto para os portistas.

Porto e Sevilla se enfrentaram na fase 16 avos de final da Liga Europa de 2010/11. Os dragões levaram a melhor e depois ainda conquistaram o título da competição. Agora, os times se encaram no dia 3 de abril, no Dragão e uma semana depois, na Espanha.