A briga pela artilharia do Campeonato Inglês pega fogo. Mohamed Salah abriu dianteira, com 29 gols marcados, próximo de bater o recorde de 31 em edições da Premier League com 20 equipes. Harry Kane está à espreita. O maior goleador das últimas duas temporadas fará de tudo para alcançar o egípcio e, nesta quarta-feira, conseguiu uma vitória nos bastidores para chegar a 25 tentos.

LEIA MAIS: Tottenham aumenta preços dos ingressos de temporada para novo estádio e torcedores reclamam

No último sábado, o Tottenham venceu o Stoke City por 2 a 1. Christian Eriksen fez o primeiro e foi reconhecido originalmente como o autor do segundo, ao cobrar uma falta fechada direto para o gol. No entanto, Kane alega que desviou o lançamento com a cabeça. Ele, inclusive, jura. “Pela vida da minha filha”, disse. “Eu toquei a bola, mas não há nada que eu possa fazer. Se eles reverterem a decisão, eles reverteram a decisão. Se acreditarem em mim, acreditaram em mim. É o que é, o mais importante é que vencemos o jogo”.

O Tottenham entrou com uma apelação oficial ao Painel de Credenciamento de Gols da Premier League, aparentemente uma entidade que realmente existe. E nesta quarta, a liga inglesa reverteu a decisão do árbitro e concedeu o segundo gol dos Spurs a Kane, agora quatro atrás de Salah na briga pela artilharia. “O gol havia sido originalmente concedido a Christian Eriksen, mas, depois de considerar o testemunho do jogador e rever as imagens, um painel de três pessoas concordou que o último toque na bola foi de Kane”, disse a Premier League, em nota.

Sabe quem não ficou feliz com a decisão? Mohamed Salah. “Woooow, sério?”, questionou em seu Twitter. Parece que sim, Mo.

E aí, você acha que Kane tocou na bola? Para mim, não.